Além da expectativa: Feira do livro de Taquara agrada público e organizadores

Evento encerra hoje à noite e tem programação intensa de atividades, além de desconto nos livros
Escolas municipais se apresentaram logo cedo com as turmas da educação infantil. Foto: Jéssica Ramos/ Jornal Panorama.

Aberta na manhã da última quinta-feira (22), a Feira Literária e Cultura de Taquara superou as expectativas, segundo os organizadores. O evento integra, na rua coberta da cidade, uma programação artística e musical, além de oficinas de artes circenses – relacionadas ao tema desta edição do evento, que é “O circo” – assim como comercialização de livros e praça de alimentação.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“Estou extremamente encantado e agradecido pelos resultados da nossa Feira. Com certeza o evento está além das nossas expectativas, considerando o público, o nível das apresentações e a venda de livros também. E, eu sendo secretário de Educação, não posso deixar de atribuir tudo isso ao empenho e união da nossa equipe e dos parceiros que são incríveis. A Feira voltou com tudo”, comemorou o secretário de Educação, Edmar Teixeira de Holanda.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“Para uma retomada, o evento certamente superou nossas expectativas. Não tínhamos como prever a dimensão da Feira, pois já fazia quatro anos que a cidade não promovia o evento, mas conseguimos atingir o objetivo, que era resgatar o interesse pela cultura, pela literatura, principalmente das crianças, que estão super animadas e são o público mais presente aqui. Também conseguimos dar destaque para os artistas e escritores locais, outro de nossos objetivos, e nos encaminhamos para o encerramento, já pensando no próximo ano de Feira”, disse o diretor de Cultura Municipal, Paulo Wagner de Oliveira.

O encerramento

Rua Coberta ficou lotada, principalmente pelos pais dos alunos que se apresentaram, hoje cedo. Foto: Jéssica Ramos/ Jornal Panorama.

Em seu último dia, a Feira do livro reservou a manhã para um encontro de Bandas Marciais, apresentação das escolas municipais e também da ONG Vida Breve. O espaço da rua coberta ficou completamente lotado, principalmente pelos pais que acompanharam seus pequenos artistas. Movimento que, segundo os organizadores, foi a tendência desta edição: “percebemos que as crianças é que incentivaram os pais. Muitos vinham com a escola de manhã, ou à tarde, e depois retornavam com os pais, principalmente para levar os livros que já haviam deixado escolhidos”, explicou Iana Kleinkauf, da diretoria de Cultura.

A tendência desta edição da Feira foi o movimento dos filhos incentivando os pais, para prestigiarem o evento. Crianças, inclusive, se apresentaram. Foto: Jéssica Ramos/ Jornal Panorama.

Claudiomar de Oliveira foi um dos pais que participou da Feira, influenciado pelo filho, Guilherme, de apenas três anos. O menino não só prestigiou, como também subiu ao palco da Feira, junto com sua turma da Escola Vovó Arlete. Orgulhoso, o pai disse que há anos não ia a uma feira do livro, mas considerou sua presença indispensável nesta edição, principalmente para incentivar o filho. “O evento está lindo, o clima é de união, colaboração, coisa que há tempo eu não via, ou vivia. Muito bom ter esta oportunidade, é assim que nos desenvolvemos”, disse Oliveira, acompanhado da esposa e de uma filha mais velha.

O secretário Holanda também falou sobre o clima desta edição da Feira. Destacou o trabalho das professoras, que preparam os alunos e mobilizaram as famílias, para prestigiar o evento. “Nossos professores fazem um trabalho maravilhoso e hoje podemos ver isso aqui no palco. É uma versatilidade e qualidade ímpar”, descreveu. Israel Moreira, “o professor Buiú”, instrutor e regente da Banda da escola Getúlio Vargas, disse que o resultado do trabalho de um professor depende da troca que existe entre professor e aluno. Que um depende inteiramente do outro para dar certo. “Nesta época do ano, os alunos estão exaustos, mas eu incentivo, explico que entendo como eles se sentem, e eles me surpreendem, por que, na maioria das vezes, chegam antes de mim nos ensaios”, relatou.

Encerramento em clima de Black Friday

Tem compra, venda e troca de livros – com a possibilidade de pagar em cartão. E hoje tem desconto em alguns estandes. Foto: Jéssica Ramos/ Jornal Panorama.

Conforme descreveu o secretário de Educação Municipal, os livreiros também avaliaram a Feira acima das expectativas. Evandro Capitanio, livreiro de São Leopoldo, disse que participou também da Feira do município vizinho, Três Coroas, e em ambos os eventos as vendas foram muito positivas. Na Feira de Taquara, ele trouxe um projeto de compra, venda e também troca de livros usados. Disse que o objetivo é promover uma experiência de comércio consciente, além de incentivar o consumo literário e o acesso aos livros, por meio da troca, por exemplo.

“Viemos com dois estandes pra cá, um somente de troca e outro com compra, venda e troca. Nossa proposta é o consumo consciente, pois o comércio da literatura envolve muitas questões, da cultura, do apego, e da economia. Quando exercitamos a troca, o despego, nós damos muito significados novos ao mesmo livro. Com ele vai, não apenas a história escrita, mas a história de quem leu antes, com dedicatórias, marcadores de páginas, uma porção de detalhes. Sem contar a questão financeira, pois tu podes adquiri outro livro, outra história, experiência, sem depender do dinheiro, propriamente dito”, explicou Capitanio, que em seguida anunciou um desconto de 10% nos livros comprados hoje. Há a possibilidade de pagar com cartão.

Confira a programação desta tarde

14h – Apresentação de dança Academia Andanças – Palco

15h – Apresentação teatral “Renascer do Cangaço” – Grupo Cheiro de Chuva – Palco

15h – Bate-papo com o escritor Othelo Rosa, sobre o livro “A vida do poeta Othelo Rosa” – Espaço dos Escritores

16h – Bate-papo com a escritora Solange Silva, sobre o livro “O grito do silêncio” – Espaço dos Escritores

16h30 – Espetáculo Onde a Palavra se Diverte, com A Fantástica Orquestra Mirabolante – Palco

20h – Encerramento “oficial” da Feira – Tholl – “No natal daquele ano” – Faccat