RESGATE HISTÓRICO

Após passar um ano em revitalização, locomotiva deixa Taquara para voltar a Canela

Trem de fabricação belga foi recuperado e passará a integrar projeto turístico na Serra.


A histórica locomotiva da fábrica belga La Meuse, classe 0-6-0, fabricada em 1909 e que estava em Taquara para restauração, entrou em viagem nesta quinta-feira (6): desde o começo da manhã deixou a oficina em que estava sendo revitalizada e retornou para Canela. A iniciativa faz parte da primeira etapa do projeto Estação Campos de Canella, que busca recuperar a história do município da Serra Gaúcha e transformar a área em um ponto turístico. A La Meuse partiu escoltada de Taquara e chegou no começo da tarde a Canela, sendo recebida por estudantes da rede municipal e pelo prefeito Constantino Orsolin.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Retirada há um ano da antiga Estação Férrea, o icônico trem estava em Taquara na sede da MKR, empresa responsável pela revitalização. O trabalho foi feito pelo historiador Antônio Carlos Teixeira de Souza Júnior e o empresário Márcio Roberto Krummenauer. Segundo Júnior, a história desta unidade da La Meuse passa por vários municípios. Foi uma máquina a vapor utilizada em manobras, não puxando composições, segundo ele. Parada há 40 anos, estava muito deteriorada quando foi retirada da estação em Canela.

Marcio e Júnior estiveram à frente do processo de revitalização da locomotiva. Vinicius Linden/Jornal Panorama

Sete pessoas atuaram durante um ano diretamente envolvidas com o processo de restauração. Peça por peça, Márcio disse que foi preciso muita pesquisa na internet para assegurar que o trabalho seguisse o projeto original do trem. Júnior conta que seu envolvimento com a restauração de seu justamente nesta área de pesquisa, a partir da histórica ligação que possui com a área, mexendo com isso desde pequeno. Além disso, seu avô foi um dos operadores da própria La Meuse. “Como a locomotiva ficou anos exposta ao tempo e sem nenhum cuidado ou manutenção, a estrutura estava muito deteriorada. Tivemos que reconstruir e forjar muitas peças que não existem mais para reposição. Quem visita-la agora vai ver detalhes que não eram mais percebidos. Com certeza será uma grande atração!”, comentou Márcio.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Transporte da locomotiva mobilizou expressiva operação nesta quinta-feira (6) em Taquara. Diego Cândido/Jornal Panorama

Márcio conta que a revitalização de uma parceria público privada que prevê a renovação da Estação Canela, em um projeto turístico desenvolvido pela Incorporadora Novalternativa, responsável pelo empreendimento, e a Mundo a Vapor, parceiro no processo de revitalização e sócio no negócio. “Assim como nos anos 20, o trem trouxe o progresso para o que hoje é a cidade de Canela. O retorno da locomotiva traz uma nova perspectiva de progresso e empreendedorismo. É como se fosse um divisor de águas, e ao mesmo tempo um resgate histórico, que busca valorizar o nosso passado e utilizá-lo como base para um futuro promissor. Está no DNA do Mundo a Vapor a força do ferro, a sinergia, o movimento, a invenção e a inovação, então, para nós, é um orgulho poder fazer parte desta história que começa a ser reescrita”, afirma a diretora Caren Urbani.

Algumas imagens da locomotiva histórica:




Leia mais: