As Coroas


As mulheres estão a mil, e com um apoio e força social incrível. Um movimento..


As mulheres estão a mil, e com um apoio e força social incrível. Um movimento crescente que não vem de hoje, é uma longa estrada percorrida, estamos cada vez mais ampliando nossas participações em tudo e qualquer lugar.
A igualdade e liberdade de expressão, idealismos, aparência, é a realidade, mesmo que ainda seja preciso esperar pela estabilidade natural desta situação, chegará a hora em que não vamos mais precisar desbravar, apontar, descrever, justificar. Negra, alemoa, asiática, gorda, magra, intelectual, nerd, informal… Amarela, verde ou azul, tatuada, careca, cabeluda, workaholic ou dona de casa. Estamos a caminho, e se esta consciência se expandir, poderemos chegar ao ideal de sermos quem queremos ser. Ou ao menos perto disto.
Dentro deste tema, quero falar da “coroa” sim, e sem ser pejorativo, mulheres maduras. Falo de mim, de minhas amigas, de celebridades e de desconhecidas contemporâneas que admiro. Mulheres jovens por essência, apesar da data de nascimento. Somos a primeira geração a se dar conta da longevidade (já falei e falarei muitas vezes nisto). Somos muito diferentes de nossos pais e muito diferentes dos nossos filhos, literalmente uma geração ilhada em uma mudança profunda, tecnológica e social.
Mulheres maduras, cheias de vida e vontades, vontade até de não fazer nada ou mudar tudo, mulheres livres para aconselhar e experientes o suficiente para pedir conselhos sem se sentirem diminuídas ou incapazes, coisa que acontecia em gerações anteriores. Os mais velhos eram “obrigados a ACERTAR”, uma carga por demais pesada. Mulheres belas nas suas diferenças e marcas, mulheres que não dão muita bola para a opinião alheia, a não ser que seja de alguém a quem ela mesma conceda este poder.
Estamos investindo e mudando de carreira na mesma idade em que nossos pais se aposentavam, ficamos mais bonitas com a leveza das viagens feitas e os muitos planos para as próximas, marcamos festas, reuniões e cafés como adolescentes, transitamos pelas faixas etárias tranquilamente, idade de mãe, idade de filhos, dos netos sem nenhum choque de realidade.
Vigor físico? Claro que perdemos, mas ganhamos tempo e inteligência para cuidar mais até desta parte se assim desejarmos. Ganhamos também mais coragem, pelo simples fato da experiência adquirida, a sensibilidade vem junto, a contemplação do simples também.
O fato de muita coisa não ser mais uma surpresa pode ser um pouco desmotivador, mas por outro lado dá uma certa tranquilidade de já conhecer o sistema. Sobre os desníveis de humor, jogamos a culpa no climatério. Podemos usar as roupas das filhas, e mais legal ainda quando elas curtem as nossas. Cada dia temos mais opções e possibilidades, só pesquisar na web. Aprendemos muito rápido.
Olhamos com responsabilidade as histórias de nossas mães e temos tempo e discernimento para fazer diferente. E as rugas no rosto? photoshop, botox ou nutracêuticos. Vantagem de novo: nossas avós não tinham nenhuma destas possibilidades! Bons tempos os de hoje! As coroas estão em alta!

Compartilhar nas redes sociais: