Câmara de Parobé aprova moção contra propostas de Leite para o magistério

Repúdio a projetos do governo estadual foi aprovado por unanimidade pelos vereadores.
Representante do Cpers/Sindicato, Simone Goldschmidt, falou aos vereadores sobre o impacto das propostas do governo no magistério. Divulgação / Eduarda Rocha

Professores e alunos das escolas estaduais do município lotaram o plenário da Câmara de Vereadores de Parobé, durante a sessão ordinária desta semana, para protestar contra o pacote de reforma administrativo apresentado pelo governo do Estado.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A representante do Centro dos Professores Primários Estaduais (CPERS), Simone Goldschmidt, pediu aos vereadores que apoiem os educadores na mobilização contrária ao pacote. “Se estamos em greve hoje é pela luta da retirada de direitos. Todos nós pagamos nossos impostos e as crianças e jovens precisam da melhor educação, o que acontece quando os funcionários das escolas e professores tenham reconhecimento”, afirmou.

Durante a sessão, os parlamentares aprovaram por unanimidade uma moção de repúdio, de autoria da vereadora Maristela Toffoli Rossatto (PT). O texto se posiciona contrário à proposta de alteração no plano de carreira do magistério público estadual, no estatuto do servidor público do Rio Grande do Sul e na previdência estadual. Na votação, os quinze vereadores manifestaram-se a favor das reivindicações dos professores. “A educação pública gratuita e de qualidade que está em jogo no Rio Grande do Sul. Estamos na luta com vocês”, destacou a proponente.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE