Câmara de Taquara aprova moção contrária à redução de um turno na Escola 27 de Maio

Educação

Proposta teve 13 votos favoráveis e um contrário, de Luis Felipe Luz Lehnen (PSDB).

A Câmara de Vereadores de Taquara aprovou, na sessão ordinária desta quarta-feira (26), uma moção de contrariedade ao governo do Estado. O texto, proposto pela vereadora Mônica Faccio (PT), repudia o fechamento do turno da manhã da Escola Estadual de Ensino Fundamental 27 de Maio, anunciado no começo deste ano pelo governo. Professores do educandário temem que a redução deste turno seja o começo de um movimento para fechar definitivamente a escola.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Os vereadores argumentam que o governo, utilizando o discurso da economia, desconsiderou a importância da escola para o desenvolvimento dos alunos e das comunidades onde estas estão inseridas. Dizem que a Escola 27 de Maio foi mais uma vítima dessa política, e criticam a decisão tomada, segundo os parlamentares, no gabinete, sem consultar professores, funcionários, pais ou responsáveis.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“Cabe destaque ao fato de que os alunos atendidos na Sala de Atendimento Educacional Especializado (AEE) perderão esse direito, uma vez que tal serviço é oferecido obrigatoriamente em turno inverso. A comunidade escolar, ao tomar conhecimento da decisão da 2° Coordenadoria Regional de Educação, indignou-se e imediatamente iniciou uma forte mobilização denunciando nos meios de comunicação, promovendo abaixo-assinados e solicitando apoio dessa Casa Legislativa para reverter tal situação, posto que sabe que este é o primeiro passo para o fechamento da Escola, a exemplo do que já ocorre em outros locais do Estado”, completa o texto.

Posição contrária

Único vereador a votar contra a moção, Luis Felipe Luz Lehnen disse que assinará, como já fez com um abaixo assinado proposto pela comunidade escolar, todos os documentos que tenham conteúdo propositivo. Mas, sobre a moção, afirmou que o texto proposto se afasta da pauta propositiva e caminha para o conflito. “Não vejo resultado positivo nenhum encaminhando uma moção que ela mais bate no governo do que propriamente pede a solução e o encaminhamento do problema”, disse. Cobrou, ainda, providências da administração municipal de Taquara no tocante a assumir o ensino fundamental, que seria de sua responsabilidade.

Como votaram os vereadores

Favoráveis
1. Daniel Laerte Lahm
2. Telmo Vieira
3. Magali Vitorina da Silva
4. Carmem Solange Kirsch da Silva
5. Levi Batista de Lima Júnior
6. Sandra Beatriz Schaeffer
7. Sirlei Teresinha Bernardes da Silveira
8. Adalberto Carlos Soares
9. Nelson José Martins
10. Marlene Terezinha Haag
11. Eduardo Carlos Kohlrausch
12. Moisés Cândido Rangel
13. Mônica Juliana Facio

Contrário
1. Luis Felipe Luz Lehnen