SENTENÇA PROFERIDA

Caso Bernardo: réus são condenados com penas de 9 a 34 anos de prisão

As partes podem recorrer da decisão, porém, o recurso não poderá passar uma condenação para absolvição.

A sentença aos quatro réus envolvidos na morte do menino Bernardo Uglione Boldrini, ocorrida em abril de 2014, foi proferida por volta das 19h desta sexta-feira (15), pela juíza Sucilene Engler Werle, no Foro de Três Passos, no Noroeste do Estado. Após cerca de 50 horas de julgamento popular, em cinco dias, a sentença foi estipulada.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




O pai do menino, Leandro Boldrini, foi condenado por homicídio doloso quadruplamente qualificado, ocultação de cadáver e falsidade ideológica, a 33 anos e oito meses de prisão. A madrasta de Bernardo, Graciele Ugulini, teve a pena mais alta. Contra ela foram imputados os crimes de homicídio quadruplamente qualificado e ocultação de cadáver. Sua pena foi estipulada em 34 anos e sete meses de reclusão em regime inicialmente fechado. Ela não poderá recorrer em liberdade.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A comparsa de Graciele, Edelvânia Wirganovicz, foi condenada a 23 anos por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Já o irmão de Edelvânia, Evandro Wirganovicz, recebeu nove anos e seis meses em regime semiaberto por homicídio simples e ocultação de cadáver.

Os quatro já estavam presos e retornaram às penitenciárias após o julgamento. As partes podem recorrer da decisão, porém, o recurso não poderá passar uma condenação para absolvição. Para isso, seria necessário um novo julgamento popular.