Caso Feller: presidente do PMDB rebate direção petista e garante recurso ao TSE

Geral

Em entrevista ao programa Painel 1490, na manhã desta quinta-feira, o presidente do PMDB de Parobé, Valdenir Martins, rebateu a sugestão do PT de que a sua sigla deixasse de recorrer no caso de Irton Feller. Além de garantir que o PMDB recorrerá ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), como já está fazendo, Martins reclamou do […]

Valdenir Martins criticou direção petista em entrevista concedida à Rádio Taquara. Foto: Vinicius Linden/Jornal Panorama

Em entrevista ao programa Painel 1490, na manhã desta quinta-feira, o presidente do PMDB de Parobé, Valdenir Martins, rebateu a sugestão do PT de que a sua sigla deixasse de recorrer no caso de Irton Feller. Além de garantir que o PMDB recorrerá ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), como já está fazendo, Martins reclamou do fato de o presidente petista Cláudio Silva estar dando sugestões para os demais partidos. Afirmou que, se for usar a lógica de não recorrer, o próprio Cláudio, ex-prefeito de Parobé, é que deveria deixar de buscar o recurso no caso em que teve a reprovação de sua prestação de contas no Tribunal de Contas do Estado (TCE).


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Mais votado no pleito do ano passado, com 10.899 votos, Feller ainda não conseguiu obter o registro de sua candidatura. Na semana passada, por unanimidade, o TRE manteve o indeferimento do registro, entendendo que a situação de Feller se encaixa na lei da Ficha Limpa, devido à rejeição de sua prestação de contas quando foi diretor-presidente da Companhia Riograndense de Artes Gráficas (Corag). Logo após a decisão do TRE, Martins anunciou que o partido recorrerá ao TSE na tentativa de reverter o caso. Com isso, Parobé segue sendo governada por um prefeito interino, no caso o presidente da Câmara de Vereadores, Moacir Jagucheski (PPS), até que seja tomada uma posição final da Justiça Eleitoral.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Incomodado com a manifestação da direção petista, ocorrida na segunda-feira, em entrevista à Rádio Taquara, Martins disse que a defesa de Irton Feller já ingressou com os embargos declaratórios, espécie de recurso que visa a sanar eventuais contradições do julgamento no TRE. Pontuou que, após o julgamento destes embargos, a defesa protocolará o recurso especial a ser encaminhado TSE, em Brasília. Martins refutou a ideia de que o PMDB esteja deixando Parobé com o “freio de mão puxado”, pela não realização de novas eleições. No entendimento peemedebista, Feller foi o vencedor do pleito.

Além disso, o presidente do PMDB destacou que, mesmo os adversários tendo espalhado pelo município a situação jurídica de Feller na disputa, com o pedido de impugnação, foi o ex-prefeito que venceu o pleito, com 10.899 votos. Disse que, no caso de Cláudio Silva, o petista ficou em terceiro lugar, próximo, inclusive, da soma de votos brancos e nulos. Martins acrescentou que o PMDB buscará o recurso por entender que está no seu direito, assim como Cláudio está fazendo no caso da reprovação das contas.

Questionado sobre a convivência com o PT no governo interino, uma vez que os dois partidos integram a administração de Moacir Jagucheski, Martins defendeu que as questões de governo precisam ser separadas. Mas disparou uma crítica ao PT, entendendo que o partido, por ter ficado em terceiro lugar na disputa ao Executivo, deveria se afastar da administração, conforme foi a votação feita pela população.

Ouça a íntegra da entrevista concedida à Rádio Taquara: