Coluna da Comunidade Evangélica de Taquara

Confira a mensagem do pastor Valmor Haag e a programação da Comunidade Evangélica.

“Não se enganem; ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá” (Gálatas 6.7).

Amigos do Panorama! Somos, em Jesus Cristo irmãos e irmãs; mas no nosso viver, muitas vezes, tratamos os outros com indiferença.

Conta a história que certo dia um homem embarcou no navio que saía do porto de Hong-Kong na China. Quando chegou no porto de Mandras na Índia, um segundo homem também embarcou no mesmo navio. Todos os dias os dois almoçavam juntos na mesma mesa. Davam um bom dia e almoçavam sem falar um com o outro. Depois, cada um, lia seu livro, se levantava, dizia boa tarde e ia para seu beliche. Fizeram isso durante toda viagem. No último dia, além do “bom dia”, um deles disse alegre: “Até que enfim minha viagem vai acabar; amanhã desembarco em Hamburgo”. “É mesmo?”, disse o outro: “eu também!” “Verdade?, disse o primeiro: “depois vou até a Rua das Flores”. “Que engraçado?”, disse o outro: “eu também estou indo para lá”. “Interessante”, disse o primeiro: “Vou visitar meu pai, ele mora no nr.43”. “Que coincidência!”, disse o outro: “Também vou visitar meu pai no nr.43”. “Mas será possível?”, disse o primeiro: “Nesse endereço, tem um prédio bem grande, e o meu pai, Seu Henrique Meyer, mora no aparamento 210”. “Não pode ser!”, disse o outro: “Meu pai também mora no apartamento 210 e se chama Henrique Meyer”. “Não estou entendendo”, falou o primeiro: “Então temos o mesmo pai?”. “Pois é…”, disse o outro: “É o que parece!”. “Que loucura, isso significa que você é meu irmão!?” Sem saber o que dizer, os dois se abraçaram e ficaram com vergonha por não terem conversado durante toda a viagem.

Diz a história que os dois irmãos foram separados, ainda muito pequenos, por causa da falta de trabalho dos pais; por isso não se conheciam; mas estavam alegres porque descobriram que eram irmãos. Agora sabiam que tinham o mesmo pai.

5 – Infelizmente, nem sempre conseguimos tratar a outra pessoa como um/a irmão/ã. Por isso, por vezes, Deus nos coloca no mesmo caminho. E no caminhar com a outra pessoa ,descobrimos como é a vida dela, os seus anseios, os seus sofrimentos, as suas alegrias. Deus faz isto para justamente nos sentirmos irmanados uns com os outros. Deus faz isso, seja por meio da pregação ou de situações difíceis da vida.

Por isso, o apóstolo Paulo nos alerta ao dizer: “não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá.” Se queremos colher frutos para a vida eterna com Deus, precisamos começar a semear, plantar, regar, adubar, desde já não só com os da família de sangue, mas também com os da família da fé. Amém!

P. Valmor Haag

PROGRAMAÇÕES:

Sábado, 13 de julho: Tarde Legal com as Crianças às 15h no Centro Martim Lutero; Culto no Lar OASE às 15h; Culto na Santa Rosa às 15h e na Casa Knevitz às 16h.

Domingo, 14 de julho: Culto de Ação de Graças e Festa da Colheita às 10h com a participação do Coral Municipal de Igrejinha. Após o culto haverá almoço de confraternização no Ginásio do Dorothea a partir das 11h30.