Temperatura agora:   17.1 °C   [+]

Confusão encerra partida de volta da semifinal da Série Prata

Uma confusão generalizada no jogo de volta da semifinal do Estadual Série Prata entre a Associação Parobeense de Futsal (APF) e o Passo Fundo Futsal (PFF), na noite de sábado (28), encerrou a partida sete minutos antes do fim do segundo tempo. Até então, a equipe de Parobé vencia a disputa, em um placar apertado de 1×0.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Disputa pela vaga à final e acesso à Série Ouro foi na casa do adversário, sábado. Foto: Reprodução Facebook PFF

O duelo foi marcado pela tensão desde o primeiro minuto. A vitória daria a classificação para a grande final e uma vaga na Série Ouro em 2018. A vantagem era do Passo Fundo, pois a APF precisava ganhar com gol no tempo normal para avançar na fase. No entanto, o placar só movimentou no segundo tempo, com Saraiva colocando os parobeense na frente.

A partir daí, os ânimos se aqueceram. O diretor da APF, Gilmar Grespan (Chimango), contou que a primeira confusão aconteceu quando o jogador adversário Nuno foi cobrar um escanteio perto do banco onde estavam os reservas e a equipe técnica de Parobé. O atleta teria empurrado os parobeense. O técnico Francisco revidou a provocação, sendo expulso da partida.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O jogo seguiu até os 13 minutos, quando, em um lance de disputa de bola, Marcinho acertou o cotovelo em Nuno. Os jogadores das duas equipes começaram um empurra-empurra. A situação ficou descontrolada com a entrada de seguranças terceirizados que estavam fora da quadra. De acordo com Chimango, os seguranças entraram sem a autorização da arbitragem.

Conforme conta o diretor da APF, a confusão continuou e os atletas parobeenses começaram a ser agredidos pelos seguranças, com troca de socos e pontapés. O jogador Saraiva, que não estava envolvido no caso, sofreu uma queda e cortou o supercílio, necessitando levar oito pontos para estancar o ferimento. Como o reforço solicitado à Brigada Militar não foi suficiente para dar sequência à disputa, o jogo foi encerrado.

O caso será relatado pela equipe de arbitragem e posteriormente julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva, o que deve ocorrer nesta semana, conforme espera Chimando. Hoje (30) pela manhã, membros da direção da APF se reuniram para tomar providências necessárias.

O presidente do Passo Fundo,  Attilio Gonçalves, lamentou a situação, manisfestando-se através da página do clube no Facebook. “O justo é continuar a partida de onde parou. A equipe do Passo Fundo Futsal não se envolveu na confusão. É algo que foge do nosso controle, até porque envolveu a equipe adversária. Nunca apoiaremos este tipo de atitude e esperamos que a FGFS seja sensível neste caso. Um trabalho sério de um ano inteiro não pode ser desqualificado por um fato isolado. Vamos aguardar”, salientou.