Criando mato: ponte entre Taquara e Parobé segue interditada

Geral

Obras dependem de emenda parlamentar e a previsão de conclusão do trabalho, que ainda não teve início, é para maio.

Motociclistas se arriscam para não recorrer à ERS-239. Fotos: Jéssica Ramos/ Jornal Panorama.

Interditada, desde o dia primeiro de novembro do ano passado, a ponte sobre o rio Paranhana, na Estrada Velha, entre Taquara e Parobé segue bloqueada. Na teoria, o tráfego está proibido no local. Porém, na prática, muitos motociclistas, por exemplo, se arriscam para evitar o percurso alternativo pela ERS-239, e acabam infringindo a determinação, como flagrou a reportagem do Jornal Panorama na manhã desta quarta-feira (12).


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Um dos condutores, flagrados pelo Panorama, que preferiu não se identificar, defendeu que a demanda do trabalho o fez preferir a ponte, principalmente para ganhar tempo no deslocamento, já que ele trabalha no trânsito. Lamentou que a estrutura ainda esteja interditada e reconheceu o risco de passar pela ponte. “À noite não dá para passar, até por questão de segurança, mas de dia a gente se obriga. Pela rodovia leva o dobro do tempo, sem considerar o combustível”, disse ele.

Previsão para liberação

Vegetação começa a crescer nos aterros que interditam a ponte. Foto: Jéssica Ramos/ Jornal Panorama.

Conforme o secretário de Planejamento, Habitação e Participação Popular de Parobé, Ricardo Juarez, quem tem movimentado a demanda, as obras dependem dos recursos de emenda parlamentar. Lembrou que uma comitiva dos dois municípios interessados esteve em Brasília, em dezembro passado, para buscar recursos e foi acolhida pelo senador Luiz Carlos Heinze (PP), no entanto o valor ainda não foi encaminhado.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Juarez informou que, enquanto não há verba, o Município se movimenta como pode, e busca agilizar os processos que lhe cabe, como a prospecção de empresas interessadas em assumir as obras. Segundo o secretário, estima-se que o projeto custe em torno de R$35 mil e as obras em torno de R$200 mil. Considerando as etapas de confecção do projeto, licitação da empresa que assumirá as obras e a execução efetiva do trabalho, Juarez disse que a previsão de conclusão da reforma é maio. No entanto, todo o processo depende da liberação dos recursos parlamentares.