Diretor técnico do Hospital de Taquara nega proibição para médicos de atendimentos particulares


Para Carlos Bauermann, se trata de um movimento para denegrir imagem do hospital.


Na manhã desta quinta-feira, médicos integrantes do corpo clínico do Hospital Bom Jesus, de Taquara, divulgaram uma carta em que relatam estarem sendo impedidos de fazerem atendimentos a seus pacientes particulares e de convênios na casa de saúde. A prática, no entanto, foi negada pelo diretor técnico, Carlos Henrique Bauermann. Segundo ele, qualquer médico integrante do corpo clínico pode fazer os atendimentos no Bom Jesus dos serviços particulares e de convênios.

Bauermann fez um desafio aos profissionais, que apresentem documentos em que tomou essa medida. Na carta, os médicos afirmaram que a proibição não estaria sendo feita por escrito, a fim de evitar que provas sejam produzidas. Mas, o diretor técico reafirmou ao Panorama de que  não existe este impedimento.

A direção do Bom Jesus voltou a dizer que foram cinco os profissionais desligados, que apenas não estão mais prestando serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS). A medida teve que ser tomada, segundo Bauermann, em função do acordo firmado com o Ministério Público, em que o hospital se comprometeu na retomada da prestação dos serviços. Além do afastamento do SUS, Bauermann disse que nenhuma outra medida foi tomada contra os profissionais.

Para o diretor do hospital, se trata de um movimento com a intenção de denegrir a imagem do hospital, que só vem desgastando o Bom Jesus, os próprios médicos e o nome de Taquara. Bauermann disse que continua à disposição para conversar com todos os médicos, como sempre esteve.

Compartilhar nas redes sociais: