E se a Expocampo fosse denominada ExpoTaquara?

Leia mais detalhes na coluna do jornalista Vinicius Linden.

Às vésperas da realização de mais uma edição da Expocampo, novos debates se surgiram, neste ano, em Taquara, por conta de mudanças feitas pela Prefeitura. A principal delas é com relação ao local, uma vez que se deixou de lado o Parque Anibaldo Renck, na sede campestre do CTG O Fogão Gaúcho, e se optou por utilizar o antigo parque da Novemberfest. Com isso, novamente surgiu o debate sobre as características da Expocampo. Afinal, no Centro, como aquele parque comportará a característica rural do evento?

Particularmente, não sou daqueles que comungam da ideia de que uma festa de aniversário de Taquara não possa ocorrer no Centro por conta de questões como barulho. Acho que, sendo um evento que acontece em um final de semana por ano, tendo o objetivo de comemorar o aniversário do município, é possível suportar eventual mudança de rotina. O debate mais fundo que se pode fazer, no entanto, é com relação ao caráter essencialmente rural da Expocampo.

Apresento diariamente o programa Painel 1490, na Rádio Taquara, e nesta segunda-feira (26) tivemos entrevista com o vereador Moisés Rangel (PSC). O parlamentar foi enfático ao defender que se troque o nome da Expocampo, passando a chamar o evento de ExpoTaquara. Seria, segundo a ideia de Moisés, um evento que faria exposição de todas as áreas econômicas de Taquara, abrangendo a própria agropecuária, mas passando pelo comércio, indústrias de calçados, móveis, piscinas, entre outras. Moisés lembrou até dos “xis”, ressaltando que Taquara é, certamente, um dos municípios que possui mais estabelecimentos para a venda destes lanches.

Trata-se de um debate que merece ser feito pelos organizadores. A marca Expocampo é forte, consolidada, tem mais de 30 anos de existência em Taquara. Mas, será que ainda é uma marca que reflete a essência do evento. Por si só, a feira já tenta abarcar todos os setores de Taquara, mas no seu nome ainda remete ao campo. Ao fazer esta referência agropecuária, e se trocar o local para áreas mais centrais, surgem os questionamentos a respeito de como abrigar uma feira do meio rural no Centro. Talvez, seja realmente o conceito da feira é que precisa ser mudado. Um debate que precisa ser feito com planejamento, sem paternalismos e com a disposição de que se tenha, efetivamente, um evento que comemore o aniversário de Taquara com fidelidade na representação de suas potencialidades.

Por Vinicius Linden
Jornalista, de Taquara
[Leia todas as colunas]