EGR promete abrir licitação para contratar projeto de duplicação da 115

Direção da companhia participou de audiência pública em Igrejinha.

A Câmara de Vereadores de Igrejinha sediou, nesta segunda-feira (12), uma audiência pública sobre o projeto de duplicação da ERS-115 entre Taquara e Igrejinha. O encontro foi proposto pelo vereador Guto Scherer (PMDB) e contou com a presença do diretor técnico da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), Milton Cypel. Na ocasião, a companhia anunciou que fará, na quinta-feira (15), a abertura da licitação visando a contratação de empresa responsável pelo projeto de engenharia da obra. Este estudo é que norteará a contratação, futura, da realização das obras propriamente ditas.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Segundo a EGR, as obras de alargamento da rodovia deverão compreender entre a ponte sobre o Arroio Müller, no quilômetro dois, em Taquara, até o perímetro urbano de Igrejinha, no quilômetro sete. Ainda segundo a estatal, a expectativa é de contratar a empresa que elaborará o projeto em abril. Após isso, haverá 180 dias para a entrega da proposta, que passará por alterações. Só depois de aprovado será aberta uma nova licitação para a execução das obras. Assim, a estimativa da EGR é de que a duplicação tenha obras em andamento em 2019.

Milton Cypel disse que será fundamental o diálogo com a região nas próximas etapas. “O projeto será elaborado por profissionais competentes da área, mas as particularidades da região serão importantes para garantir a sua eficácia”, comentou. “Essa pauta representa um anseio de muitos anos da nossa comunidade. Acredito que iniciar esse debate é essencial para fomentar o desenvolvimento da região a médio e longo prazo”, pontuou o vereador Guto. Presente à audiência, o líder do governo do Estado na Assembleia Legislativa, deputado Gabriel Souza (PMDB), disse que, pela 115, passam 24 mil carros por dia e a obra dará mais segurança aos motoristas.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Autoridades de Igrejinha, do Estado e direção da EGR participaram de audiência pública no Legislativo igrejinhense. Divulgação/Juliane Pimentel