Em cinco dias, a cultura reuniu seis mil pessoas na Feira Literária de Taquara

Com o mote “Cultura une pessoas”, evento promoveu dança, teatro, música e literatura no Parque do Trabalhador.
Pais e professores levaram centenas de crianças à programação no Parque do Trabalhador. Divulgação/Diego Scheid

Durante cinco dias, o Parque do Trabalhador foi o ponto de encontro da comunidade taquarense para prestigiar a diversidade cultural. Com o mote “Cultura une pessoas”, a Feira Literária de Taquara reuniu seis mil pessoas, que passaram pelos 10 estandes de livros e, também, puderam conferir de perto uma programação, que contemplou ao todo 30 atrações, entre teatro, dança, música, bate-papo com escritores intervenções circenses, oficinas de xilografia e pintura, além, é claro, de muita leitura com a Hora do Conto.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Mais que um evento sobre literatura, a Feira Literária de Taquara trouxe um olhar especial voltado para a inclusão social. Pela primeira vez, uma feira do livro proporcionou uma experiência sensorial para o público autista. A ação chamada de “Hora do Silêncio”, retirou durante uma hora todo o som ambiente do local para que crianças, jovens e adultos autistas tivessem a oportunidade de curtir o evento da forma mais confortável possível

Trio Paysanos no palco principal.
Divulgação / Diego Scheid. 

Neste ano, o patrono escolhido foi o jornalista e escritor porto-alegrense, Caio Riter, que celebra também os 25 anos da publicação do seu primeiro livro. Já o grande homenageado foi o escritor Luiz Antônio de Assis Brasil. A iniciativa foi realizada pela Prefeitura Municipal de Taquara, Amigos do Livro e Sesc/RS, com apoio da Secretaria Especial da Cultura/Ministério da Cidadania por meio do edital #LeituraGeraFuturo e Faculdades de Taquara (FACCAT).


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Atividades contemplou todos os públicos.
Divulgação / Diego Scheid

Estiveram presentes na programação da Feira os escritores: Andriolli Costa, Elma Santana, Christopher Kastensmidt, Doralino Souza da Rosa, Caio Riter, Mario Pirata, Katia Suman, Luís Augusto Fischer, Diego Grando, Armando Severo, Vozes Femininas, Lau Patrón, Othelo Rosa e Luiz Antônio de Assis Brasil.

Os espetáculos foram com “Maria Bela”, da Cia Ó Maria de Teatro; Letícia Roennau; Naviliat – harpa e voz; “O Brasil Que Dança”, da Cia Andanças; Um – Duo Rock; Rua Victor e Thiago; Tá Rolando Arte; Xaxados e Perdidos; Chico Paz; “Giramundo”, com Eduardo Pitta, Elias Barboza e Giovani Berti; CTGs Essência Gaúcha e O Fogão Gaúcho; Paysanos; e Orquestra de Sopros de Picada Café.

CTG O Fogão Gaúcho se apresentou no último dia da Feira.
Divulgação / Diego Scheid.
Encerramento oficial da feira foi realizado com a Orquestra de Sopros de Picada Café. Ronaldo Siebel / Jornal Panorama