Empresas de Taquara recebem curso de boas práticas na fabricação de produtos de origem animal

Geral

Capacitação gratuita foi oferecida pela Prefeitura de Taquara na última sexta-feira (14).

Participaram do curso receberam orientações sobre adesão ao SUSAF. Divulgação/Magda Rabie

Representantes de frigoríficos e demais estabelecimentos que trabalham com a fabricação de produtos de origem animal participaram, na sexta-feira (14), do curso gratuito “Boas Práticas de Fabricação de Produtos de Origem Animal”, com a médica veterinária Maluza Machado Feltrin, da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo – SDR. O evento promovido na sala multiuso do Serviço Social do Comércio – SESC, foi realizado pela administração municipal de Taquara, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária, pelo Serviço de Inspeção Municipal – SIM.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O prefeito Tito Livio Jaeger Filho e o secretário responsável pela pasta de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária, Dircinei Antonelo, participaram do encontro, assim como, os técnicos do Serviço de Inspeção Municipal, veterinárias Verônica Silveira Luiz Machado (coordenadora do SIM), Larissa de Borba Espíndola e Luciane Pereira Tavares e o veterinário Waldenir Santiago Neto. “Uma das preocupações da administração municipal é qualificar o trabalho de todos com o intuito de trazer conhecimento ao empresário, agregar ao produto, apresentando maior qualidade e atendimento ao consumidor. Que possamos sempre fomentar os nossos negócios gerando renda, pois com o crescimento de vocês a cidade cresce também”, observou Tito.

O secretário Dircinei Antonelo falou da necessidade dos estabelecimentos estarem alinhados à lei para o crescimento do próprio empreendimento, principalmente aqueles que desejam aderir ao SUSAF (Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte). “O SUSAF não foi criado para frigoríficos, mas para agricultura familiar. O governo abriu espaço pela quantidade de frigoríficos pequenos nos municípios, mas a adesão deverá terminar em julho do próximo ano, por isso a nossa preocupação em trazer informações para que vocês conheçam como funciona este processo”, relatou Antonelo.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Durante o curso, a médica veterinária, Maluza Machado Feltrin, disse que os frigoríficos se enquadram à forma antiga e, para aderir ao SUSAF são necessárias algumas mudanças. Em sua explanação, ela explicou os requisitos sanitários mais importantes, os fundamentos primordiais à qualidade e segurança dos alimentos. “Produzir com segurança significa produzir um alimento livre de contaminação que não ofereça riscos à saúde. Estes requisitos sanitários não são uma burocracia brasileira, são normas internacionalmente aceitas. Há um código sanitário internacional para produção com segurança que envolve práticas de higiene alimentar. Quando falamos de boas práticas, não estamos só falando de instalações, equipamentos, parte operacional, estamos falando de produtos, então necessariamente eu preciso entregar um produto com selo que cumpre todas as legislações sanitárias, um produto com qualidade e identidade, por isso o SIM submete os estabelecimentos a análises laboratoriais”, mencionou a médica veterinária.

Médica veterinária Marluza instruiu sobre a legislação que envolve as boas práticas da fabricação de produtos de origem animal. Divulgação/Magda Rabie