Temperatura agora:   13.3 °C   [+]

Estiagem gera cerca de R$ 1 milhão de prejuízo na agricultura de Igrejinha

Vereador Juliano junto de Elizandra e mais autoridades do setor rural. Divulgação

A falta de chuvas segue preocupando autoridades em Igrejinha. O vereador Juliano Muller obteve dados sobre a gravidade da estiagem junto da Defesa Civil, apresentou indicação para que o Município decrete situação de emergência – facilitando seu acesso a créditos específicos para minimizar o impacto do problema – e, nesta semana, procurou o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Igrejinha para expor a situação encontrada no campo.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Desta forma, o vereador conversou com a presidente da entidade, Elizandra Haag. O encontro aconteceu de forma virtual, na quinta-feira, através de uma transmissão ao vivo realizada em sua página no Facebook. 


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Perdas no campo ultrapassam 60% e R$ 1 milhão

Segundo o Sindicato, o município possui mais de 600 propriedades rurais e, destas, cerca de 350 vivem exclusivamente do campo. Essas famílias representam mais de 1.500 pessoas, que cultivam produtos que abastecem o comércio local, a merenda escolar e, ainda, ações como a Feira do Produtor, que comercializa produtos em vários bairros da cidade. 

“Igrejinha é reconhecida pela sua vasta produção industrial e por isso é comum que, muitas vezes, às pessoas não conheçam o nosso grande potencial rural”, comentou Juliano. Neste sentido, vale ressaltar a safra anual de goiaba, que gira em torno de 200 toneladas, assim como o cultivo da soja, que se estende por aproximadamente 75 hectares e colhe mais de 6 mil sacas, algo próximo de 160 toneladas.

Contudo, esses números estão distantes da realidade atual. “A produção de goiaba caiu pela metade. Já na soja, onde cada hectare rende de 50 a 65 sacas, não se colhe mais de 20 sacas por hectare. O milho também foi muito prejudicado e as hortaliças, como verduras e legumes, têm perda na casa dos 70%. Assim, os prejuízos no campo afetam cerca de 60% das plantações e giram em torno de R$ 1 milhão”, revela a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

“Nossos agricultores sofrem de duas formas. Primeiro porque as pessoas estão comprando menos seus produtos em decorrência da crise internacional pela qual passamos e segundo pelas perdas com a estiagem”, comenta o vereador. Para reduzir o impacto negativo da falta de chuvas, o Município tem abastecido produtores em diferentes localidades com água para consumo das famílias e animais. “Após decretar situação de emergência teremos mais recursos para auxiliar nossos produtores, por isso a importância da indicação”, reforça Juliano.