EDUCAÇÃO

Estudantes sugerem lei para debater violência contra a mulher em Parobé

Iniciativa foi apresentada à Câmara por alunas da escola Getúlio Vargas.

As vereadoras do Legislativo de Parobé Maristela Toffoli (PT) e Mariana Eliane Nunes (MDB) e o presidente Moacir Jagucheski (PPS) receberam, na terça-feira (11), uma sugestão de projeto de lei dos alunos da escola Getúlio Dornelles Vargas. O texto, de autoria dos estudantes, faz parte do projeto de pesquisa “Feminicídio: uma trajetória de violência contra as mulheres”, que realizou um levantamento das conquistas e políticas de proteção às mulheres. Coordenado pela professora Eliane Viana, o tema virou assunto em sala de aula para os alunos Raíssa Silva dos Santos, Rúbia da Silva, Guilherme Gonçalves e Vitória Cassiane.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




A pesquisa foi vencedora na Feira Científica do educandário e agora fará parte da Feira de Iniciação Científica de Parobé. “Estamos engajados em construir uma sociedade onde homens e mulheres tem direitos iguais. Precisamos também desconstruir esta imagem de que feminismo é algo pejorativo”, comentam. O documento entregue pelos alunos, prevê a criação de uma semana especial de debates na Câmara de vereadores, que tem como objetivo buscar soluções de enfrentamento à violência contra a mulher.

Ao receber a sugestão, as parlamentares comprometeram-se em criar um projeto que tramitará no Legislativo. “Uma iniciativa sem custo algum e que prioriza modificar uma triste realidade”, explicou Maria Eliane. Para Maristela, a proposta enriquece não só o âmbito escolar como também promove mudanças positivas na sociedade. “Infelizmente são poucos os municípios que atuam com políticas públicas que busquem soluções para este problema. Com certeza estamos ainda mais motivadas a trabalhar pelo fim da violência contra a mulher depois desta visita”, afirmou.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Presidente e vereadoras receberam os alunos na tarde da última terça-feira (11). Divulgação/Eduarda Rocha