Faccat realiza premiação para a garotada em Mostra Científica

Competição foi realizada pela instituição de ensino para incentivar a pesquisa.
Solenidade de premiação reuniu estudantes e representantes da educação na região. Divulgação / Claucia Ferreira / Faccat

Integrando a XVII Mostra de Iniciação Científica e o IX Salão de Extensão das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat), ocorreu nos dias 1.º e 3 de outubro, a 1ª Feira Científica da Educação Infantil e Ensino Fundamental, e a 2ª Mostra Júnior, respectivamente. Na sexta-feira, dia 4, à noite, aconteceu a premiação de 1.º ao 3.º lugar para os melhores trabalhos, que foram avaliados por uma comissão de jurados, formada por professores da Faccat, que julgou serem os mais criativos, relevantes, em termos sociais, melhor apresentados, mais próximos ao tema desenvolvimento sustentável, com uma estrutura de projeto científico mais bem elaborada. “A participação em feiras é a culminância das aprendizagens dos estudantes. Um rico ambiente para exercitar a expressividade e demonstrar todas as práticas e reflexões dos participantes em relação a proposições de soluções rumo a um desenvolvimento sustentável”, salienta a professora Patrícia Kebach, que foi uma das coordenadoras da feira.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Premiação dos primeiros lugares na Mostra Júnior. Divulgação / Claucia Ferreira / Faccat

As cidades que participaram da Feira Científica da Educação Infantil e Ensino Fundamental e da Mostra Júnior foram: Três Coroas, Igrejinha, Taquara, Nova Hartz, Distrito de Rio da Ilha, Campo Bom, Parobé, Rolante, Araricá, Sapiranga, Novo Hamburgo, Maratá e Gravataí. Mais de 60 escolas enviaram trabalhos para os eventos. Ao todo, participaram 135 estudantes, 45 professores, sendo 45 pesquisas participantes. Mais de 250 pessoas participaram, entre estudantes, professores, avaliadores e organizadores, além de visitantes de escolas da região e gestores municipais.

Premiação dos primeiros colocados no ensino fundamental. Divulgação / Claucia Ferreira / Faccat

O vice-diretor de Pesquisa e Pós-Graduação, o professor doutor Roberto Morais destaca que é possível fazer pesquisa desde pequeno. “A gurizada aqui é um exemplo que se pode fazer iniciação científica. Faccat sempre primou por fazer Educação. Nós fazemos Educação, e quando a gente vê todo este pessoal envolvido neste processo, de forma presencial, começamos a perceber a diferença entre estar presente e estar de forma virtual. É uma diferença enorme”, ressalta.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Premiação dos primeiros colocados nos anos iniciais. Divulgação / Claucia Ferreira / Faccat

Na avaliação do diretor-geral da Faccat, Delmar Backes, a pesquisa deve contribuir, de alguma forma, para a humanidade. “O objetivo da pesquisa não é descobrir alguma coisa para guardar na gaveta. O objetivo da pesquisa é fazer o mundo melhor. Os grandes pesquisadores ficam famosos pela ajuda que dão para a humanidade através de suas pesquisas. E todos vocês que participaram deste projeto já estão de alguma forma contribuindo para a qualidade de vida que todos nós merecemos”, parabeniza Backes.

Premiação dos primeiros colocados nos anos finais. Divulgação / Claucia Ferreira / Faccat

PREMIAÇÃO

Feira Científica da Educação Infantil e Ensino Fundamental

Categoria Educação infantil

1.º lugar – Pesquisa: Conhecendo as minhocas

Escola: Escola Municipal de Educação Infantil Amiguinhos de Três Coroas.

Estudantes: Vicente Augusto Wolff, Emanuel Klipel da Silva e Valentina Griep

Orientação: professora Janete Alves de Lima

2.º lugar –  Pesquisa: No tempo dos Dinossauros

Escola: Escola Fundamental Luterana Redentor de Igrejinha

Estudantes: Sofia Alves Czervieski, Mateus Hahm e Enzo Rafael Beck dos Santos

Orientação:  professora Vanessa Luana Wingert da Fonseca

3.º lugar – Pesquisa: Chocolate dá em árvore?

Escola: EMEF Jorge Fleck de Parobé

Estudantes: Eduarda Silveira Farias, Michely Flores Soares e Isadora Fernanda Soares Farias

Orientação: professora Carine Cristiana da Silva de Aguiar

Categoria Anos Iniciais do Ensino Fundamental

1.º lugar – Pesquisa:  Lixo: sua atitude pode mudar o mundo

Escola: Escola Estadual de Ensino Médio Hermínia G. Marques, de Taquara

Estudantes: Eduarda Lima Siebel, Venâncio Rodrigues Paiva e Pedro Henrique Parizotto

Orientação: professora Vanessa Wilhelms Munari

2.º lugar – Pesquisa: Plantarinho

Escola: Escola Municipal de Ensino Fundamental José Schmidt de Nova Hartz

Estudantes: Lucas Mateus dos Santos Simon, Kaellyn Rayany Bernardo e Ruan Carlos Cavalheiro

Orientação: professora Rosangela Jost

3.º lugar –  Pesquisa: Que som vem da floresta?

Escola: Escola Municipal de Ensino Fundamental Rosa Elsa Mertins de Taquara

Estudantes: Helena de Oliveira Keller, Isabela Krummenauer e Yago Pereira Fail

Orientação: professor Vinícius Viana da Silva

Categoria Anos Finais do Ensino Fundamental

1.º lugar – Pesquisa: Lixo Marinho: um problema de todos

Escola: Escola Colégio Luterano Sião, de Araricá

Estudantes: Maria Luísa Perottoni e Lara Giehl Augustin

Orientação: professora Morgana Aline Reinheimer

2.º lugar – Pesquisa: SCC Consumo e descarte Responsável

Escola: Escola Municipal de Ensino Fundamental Bento Gonçalves, de Novo Hamburgo

Estudante: Júlia Brandelero Labes

Orientação: professora Lidiane Silva Pinheiro Bonfada

3.º lugar – Pesquisa: Comprar é bom, mas e as consequências?

Escola: Escola EMEF Idalino Pedro da Silva de Parobé

Estudantes: Naoma Marilyn Sturm Rufino e Rafaela Stefani de Almeida 

Orientação: professor Matheus Oliveira Paz

PREMIAÇÃO

Mostra Júnior

1.º lugar –  Pesquisa: Próteses para animais impressas em 3D

Escola: Escola Técnica Estadual Monteiro Lobato, de Taquara

Estudantes: Pablo Tarso Baum Júnior, Pablo Gabriel de Oliveira e Ryan Lucas da Silva

Orientação: professor Daniel de Souza Rocha

2.º lugar –  Pesquisa: Autonomia de Deficientes Visuais em Supermercados

Escola: Instituto Estadual Coronel Genuíno Sampaio, de Sapiranga

Estudantes: Eduarda Szimwelski Martins, Luana Dreher Maria e Mirelle Braga dos Santos

 Orientação: professora Tamires Nunes Zardin

3.º lugar – Pesquisa:  Uso de Biossorção de Metais pesados em águas fluviais

Escola: Colégio Santa Teresinha, de Campo Bom

Estudantes: Caroline Ames dos Reis, Manuela Pedroso Ramos e Fernanda Balt

Orientação: professor Robson Marcelo Vargas