Greve geral: saiba quais são os reflexos em Taquara e região

Sindicatos mobilizam, principalmente, classe bancária e público escolar.
Agências privadas de Taquara não têm expediente nesta sexta-feira (14). As demais têm paralisação parcial. Foto: Jéssica Ramos/ Jornal Panorama.

Mobilizados contra a Reforma da Previdência, alguns grupos aderiram à greve geral, marcada para esta sexta-feira (14), em Taquara e região. Os maiores reflexos das manifestações estão, principalmente, no funcionamento das escolas e atendimento das agências bancárias.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Conforme a diretora do Cpers, Simone Goldschmit, a programação do núcleo dos professores é promover a conscientização da população sobre os riscos que a Reforma da Previdência representam à classe trabalhadora do país. “Faremos a distribuição de panfletos e permaneceremos mobilizados durante todo o dia. Também estamos organizando um almoço coletivo para quem participar das manifestações”, informou ela.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Simone disse que, em Taquara, as paralisações abrangem cerca de 15 escolas. A E.E.E.M. Felipe Marx, a Escola Técnica Estadual Monteiro Lobato e a E.E.E.F. Rodolfo Von Ihering estão fechadas, e outras têm paralisação parcial. Em Rolante, conforme informações divulgadas nesta quinta-feira (13), o Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Sul também aderiu à greve e suspendeu as aulas desta sexta-feira (14).

Em relação aos atendimentos das agências bancárias de Taquara, conforme Ana Maria Furquim – do Sindicato dos Bancários do Vale do Paranhana – Itaú, Santander e Bradesco (de Taquara e Parobé) não cumprirão expediente nesta sexta-feira (14). Já, nos bancos públicos, como a Caixa Econômica Federal e Banrisul, a paralisação será parcial.

Na Delegacia de Pronto Atendimento de Taquara (DPPA), também há alteração, com atendimento presencial apenas para fatos criminais. As ocorrências não criminais, sem lesões, são encaminhadas ao atendimento online.