Temperatura agora:   11.7 °C   [+]

História de empreendedorismo de três-corooense virará roteiro de Hollywood

 


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A luta constante para emagrecer levou a três-corooense Daiana Huff a desenvolver um método para auxiliar na redução de peso. A técnica criada pela loira de 30 anos radicada em Rondônia foi a inspiração para a Faculdade do Emagrecimento, empresa dela que presta consultoria online. Agora, a história deverá virar roteiro de produção hollywoodiana.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Daiana, ao centro, ao lado do marido em entrevista para a Rede TV. Foto: Divulgação

“Quando os sonhos acabam” será uma comé­dia romântica sobre um casal cheio de dívidas e que decide empreender na internet sem entender nada de marketing digital e sem dinheiro para isso. Além de boas risadas, a empresária acredita que o filme é inspirador para que outras pessoas per­sistam na busca de seus objetivos. O roteiro foi es­crito pelo poeta Augusto Branco, com quem Daiana é casada há três anos. Assim que concluído, foi enviado para produtores de cinema americanos, e acabou chamando a aten­ção de Frederico Lapenda, sócio do produtor Stan Lee, criador do Homem Aranha, que decidiu fazer o filme.

Daiana recorda que o início da trajetória como empresária rendeu momentos engraçados, e que deverão ser retratados no longa-metragem. Na época, ela conta que dei­xou o emprego de gerente de saúde na Secretaria de Estado de Justiça de Rondônia, onde tinha que assegurar assistência de saúde para os reeducan­dos do sistema peniten­ciário.

Natural de Três Coroas, ela conta que viveu no município do Vale do Paranhana até os 24 anos. Foi lá que nasceram os dois filhos. “Tenho boas lembranças de minha cidade que amo muito”, comenta, avisando que em 2018 fará visita aos parentes gaúchos. A vida profissional começou cedo, aos 10 anos, em uma fábrica de calçados. Com dificuldades finan­ceiras, decidiu mudar de endereço, e foi embora para Belo Horizonte, em busca de melhores condi­ções. Mas a vida em uma grande metrópole tam­bém não era fácil. “Com esforço e determinação, entretanto, consegui superar todas as adversi­dades”, garante.

O tio paterno Celirio Huff se orgulha ao falar da sobrinha, refletindo sobre a trajetória de vida dela. Depois de perder o contato, ele conseguiu reencontrar a familiar. Ce­lirio conta que a mãe Ar­nolda é uma das pessoas que Daiana mais gosta em Três Coroas. Sobre o filme, diz que se sentiu duplamente feliz. “Primei­ro, pelo fato de ser minha sobrinha, e outra por ser natural daqui”, explicou.

A alegria de Daiana aflorou ao saber que o ro­teiro havia sido aprovado e que fariam o filme. “Na hora, as lágrimas simples­mente desceram por meu rosto. Foi um dos momen­tos mais emocionantes de minha vida”, relembra. A comédia romântica terá algumas tomadas externas gravadas em Porto Velho, Rondônia. No filme, Daiana fará uma participação especial, mas não representando a si mesma. “Eu farei o papel de minha ex-chefe malva­da”, adianta.

 

Quilos a menos, sorrisos a mais

 

Empresária está radicada em Rondônia. Foto: Arquivo pessoal

Nem acompanhamen­tos com nutricionistas, exercícios ou remédios ajudaram Daiana a ema­grecer. “Eu tinha vergonha de tudo. Não me reconhe­cia no espelho, não gos­tava de mim. Estar obesa me deprimia profunda­mente”, recorda da época em que pesava 104 quilos. Foi então que passou a pesquisar sobre o assun­to, chegando à conclusão de que as verdadeiras causas do excesso de peso não estão relacionadas à alimentação nem ao se­dentarismo, mas a fatores emocionais.

Com os conhecimentos que obteve, desenvolveu uma técnica própria que a fez emagrecer 43 quilos em oito meses. “É este método que ensino na Fa­culdade do Emagrecimen­to, que é uma empresa 100% online que ensina as pessoas a emagrecerem sem exercícios, sem remé­dios, sem dietas difíceis e sem cirurgia”, conta. Hoje, a empresária tem alunas de todo o Brasil.

Com o intuito de escre­ver um livro sobre ema­grecimento, área em que se especializou, Daiana recorda que enviou con­vites de amizade para escritores e escritoras que pudessem orientá-la sobre como publicar. “As­sim, acabei conhecendo o poeta Augusto Branco, que tem livros no Brasil e na Europa. Acabamos na­morando, nos casamos e, como ele mora em Rondô­nia, me levou para junto dele”, recorda sobre como conheceu o atual marido.