Homem é condenado a 36 anos de prisão por matar ex-companheira em Taquara

Lesões provocadas no filho durante o crime geraram pena de três meses de detenção.

O Tribunal do Júri do Fórum de Taquara condenou, nesta quarta-feira (13), o réu Carlos Alexandre Hennemann, 38 anos, acusado de matar Simone Beatriz da Silva Ramos, 37 anos, em 4 de setembro de 2016. A pena fixada para o crime foi de 36 anos de reclusão, em regime inicial fechado. Além disso, o réu também foi condenado por lesão corporal do seu próprio filho, de 11 anos, que tentou interceder pela mãe, mas não conseguiu evitar o crime. Por este fato, a pena foi fixada em três meses de detenção.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O feminicídio ocorreu por volta de 2 horas daquele dia, na rua Armindo Eugênio Bohrer, no bairro Tucanos. Segundo o apurado, o réu chegou à residência e arrombou a porta, invadindo o quarto. De forma rápida, puxou a vítima pelos cabelos para fora da casa, vindo a matá-la, com o uso de faca. O filho do casal tentou interceder, mas também foi atingido pelos golpes nas costas e na mão.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Em depoimentos no processo, o acusado reconheceu os fatos, justificando sua conduta com o argumento de prévias discussões conjugais e familiares. Disse que surtou, tendo um ataque de fúria que desencadeou a morte de sua ex-companheira e os ferimentos em seu filho, não recordando detalhadamente do homicídio. A defesa de Hennemann ainda tem direito a recurso para a segunda instância da Justiça.