Hospital de Três Coroas divulga esclarecimento sobre atendimento a paciente picado por cobra

Geral

Casa de saúde afirma que está sendo vítima de calúnias em redes sociais.

O Hospital de Três Coroas divulgou, nesta sexta-feira (14), uma nota de esclarecimento em relação ao atendimento a um paciente picado por cobra. A entidade afirma que se vê na obrigação de prestar esclarecimentos “devido às calúnias que estão sendo propagadas”. Abaixo, segue a íntegra da nota do Hospital de Três Coroas.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




“Com relação a publicações em redes sociais envolvendo o atendimento de um paciente picado por cobra, embora tenhamos todo o respeito pelo paciente e pela família e todo o cuidado com a divulgação de informações, nos vemos na obrigação de prestar esclarecimentos devido às calúnias que estão sendo propagadas.
O paciente chegou ao hospital trazido pelos bombeiros às 18:11, atendido pela médica plantonista às 18:12 e atendido pela equipe assistencial que registrou o ocorrido e coletou exames laboratoriais, tudo dentro do padrão de atendimento. O paciente foi mantido na sala de emergência monitorizado e medicado. A médica evoluiu no sistema a ficha de atendimento médico às 18:22, entrando em contato com a médica do centro de informação toxicológica às 18:31 horas para passar o caso do paciente. A médica responsável do centro de referência manteve a mesma conduta médica do hospital de Três Coroas e pediu para repetir os exames laboratoriais em 2 e 6 horas após chegada do paciente ao hospital e aguardar evolução do paciente, pois não sabíamos qual cobra tinha picado o paciente (ele relatou que era preta e cinza, mas não capturou ou tirou foto do animal).
O médico que do plantão seguinte assumiu os cuidados do paciente às 19h. O paciente se manteve hemodinamicamemlnte estável até 22:30, apresentou um episódio de vômito sem sangue, reavaliado novamente junto com os exames laboratoriais e os primeiros resultados de exames solicitados mostraram alteração na coagulação. Imediatamente foi comunicado ao Centro de Informação Toxicológica que sugeriu encaminhar o paciente ao HPS Porto Alegre para realizar 12 ampolas de soro antibotrópico. Foi realizado contato médico com o chefe de plantão do HPS POA que aceitou transferência às 22:45. Paciente foi encaminhado a POA para tratamento definitivo, hemodinamicamente estável e sem sangramento ativo. A partir de então o paciente passou aos cuidados daquela instituição.
Lamentamos a forma como está sendo exposto este caso, já que todo o atendimento está devidamente registrado em prontuário, bem como nos órgãos de apoio da Secretaria de Saúde. As declarações caluniosas agridem a instituição e os profissionais que atuaram neste caso com ética e profissionalismo. Nossa ouvidoria está sempre à disposição dos familiares que tiverem qualquer manifestação, sejam reclamações, dúvidas ou qualquer tipo de questionamento, por isso não admitimos que ocorra este tipo de situação, que será encaminhada ao nosso departamento jurídico. Att, a direção.”


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE