Inovação e empreendedorismo foi tema de palestra no curso de Direito da Faccat


“Inovação e Empreendedorismo no Direito: é possível fazer diferente? ”  foi o tema da palestra..


Alessandra Hendler palestrou para acadêmicos da Faccat. Divulgação/Roseli Santos

“Inovação e Empreendedorismo no Direito: é possível fazer diferente? ”  foi o tema da palestra realizada na noite desta quarta-feira, dia 3 de maio, à noite, no campus das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat). A abertura do evento foi feita pelo professor Rafael Koche, do curso de Direito da Faccat, que apresentou dados relacionados à profissão para a plateia formada, basicamente, por acadêmicos da instituição.

Segundo ele, hoje são mais de 1 milhão de advogados inscritos na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no país, sendo Direito o curso que apresenta o maior número de estudantes nas universidades do Brasil. “Temos um advogado para cada 200 habitantes no Brasil”, disse o professor, lembrando que em 1995 havia no país 165 cursos de Direito, enquanto que hoje este número subiu para 1.300.

Diante desta realidade, a palestra sobre empreendedorismo, ministrada pela advogada Alessandra Hendler (empresária, professora universitária e fundadora da Escola Ale Hendler, que também ministra cursos e mentoria para estudantes de Direito), enfocou aspectos importantes para que os acadêmicos de Direito saibam fazer a diferença neste mercado cada vez mais competitivo. “Só pensamos na parte técnica e jurídica, quando entramos na universidade”, disse a advogada, enfatizando a necessidade de se pensar sobre o que é ser bem-sucedido e poder construir um projeto autêntico dentro daquilo que cada um acredita.

Para ela, concurso público não é uma profissão. “Não faça concurso púbico pensando em ganhar dinheiro. Pensem em quais valores são importantes para vocês”, alertou Alessandra Hendler. Conforme a advogada, empreendedorismo é ser protagonista da própria história, é realmente fazer alguma coisa inovadora. “A faculdade é uma ferramenta”, destacou, enfatizando que hoje o perfil do advogado mudou, assim como a economia e demais aspectos da sociedade, exigindo novas referências para o profissional de Direito.

Compartilhar nas redes sociais: