Jorge Bischoff compartilha arte e solidariedade em ação de abrangência nacional

Geral Negócios

Para muito além da moda, os públicos envolvidos no universo da grife se uniram a instituições beneficentes, em busca de um Natal mais feliz neste 2019.

Em tempos de compartilhamento na esfera digital, a Jorge Bischoff faz um movimento fora da curva para disseminar a força da real conexão entre as pessoas. Para muito além da moda, os públicos envolvidos no universo da grife se uniram a instituições beneficentes, em busca de um Natal mais feliz neste 2019. São franqueados, consumidores, além de colaboradores do Bischoff Group e seus parceiros, agindo na geração de um legado positivo.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Em dezembro, em todo o Brasil, as lojas da marca distribuíram cartões natalinos exclusivos, produzidos por crianças, adolescentes e adultos atendidos pelas entidades participantes da ação. São peças criadas à mão livre, a partir da reutilizados de sobras da fabricação de sapatos e bolsas Jorge Bischoff. Cada um desses cartões traz informações sobre o projeto, além de detalhes sobre o trabalho realizado nas instituições e instruções para quem quiser colaborar de alguma forma.

Caminhos do bem

Durante o período de criação dos cartões, uma outra mobilização garantiu que estes verdadeiros presentes tivessem uma significativa retribuição a tempo das celebrações de Natal. Contagiados pelo espírito da ação, colaboradores da sede do Bischoff Group, em Igrejinha/RS, abraçaram a missão de arrecadar mantimentos e outros itens que foram entregues às entidades convidadas. O resultado da mobilização foi surpreendente: foram arrecadados 400 quilos de alimentos, cerca de 2 mil fraldas, 450 unidades entre materiais escolares e produtos de limpeza e higiene e 350 brinquedos, além de uma quantia em dinheiro.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Conheça as entidades envolvidas:

– ONG VIDA BREVE (Taquara/RS): Há 13 anos, utiliza a arte como ferramenta de transformação social. Presta em torno de 500 atendimentos semanais, na prevenção da violência em áreas de vulnerabilidade social.

– LAR PADILHA (Taquara/RS): Com mais de 40 anos de atuação, acolhe e protege, em regime de abrigo, cerca de 100 jovens, de 0 a 17 anos, de 22 cidades gaúchas.

– CEMAE APRENDER (Igrejinha/RS): Com 9 anos de atuação, atende cerca de 270 crianças no contraturno escolar, desenvolvendo experiências e habilidades, além de oferecer acompanhamento pedagógico, recreação e oficinas.

– ADEFI (Novo Hamburgo/RS): A Associação dos Deficientes Físicos tem 37 anos de atuação na luta contra o preconceito, defendendo a capacitação intelectual, psicomotora e afetiva, bem como a inclusão.

Comentários