Médicos relatam impedimento de atender pacientes particulares no Hospital de Taquara


Profissionais divulgaram carta em que se dizem vítima de perseguição por denunciarem falhas.


Médicos integrantes do corpo clínico do Hospital Bom Jesus, de Taquara, divulgaram, nesta quinta-feira, uma carta aberta à comunidade em que relatam estar sendo vítimas de “crescente perseguição” em razão de denunciarem “as constantes falhas da administração e o sucateamento do Hospital Bom Jesus”. Relatam que , desde o início desta semana, estão sendo impedidos de atender seus pacientes particulares ou de convênios no Hospital. Alegam que isso afronta o Código de Ética da Medicina e dizem que já comunicaram o fato às autoridades competentes.

Segue a íntegra da carta divulgada pelos médicos.

“Prezados Cidadãos,

 

Os médicos do corpo clínico vêm tornar pública a sua indignação pela crescente perseguição que vêm sofrendo em razão de denunciarem as constantes falhas da administração e o sucateamento do Hospital Bom Jesus de Taquara.

Não bastasse esse grave cenário de desamparo à população, desde o início desta semana diversos colegas médicos estão sendo sumariamente impedidos de atender seus pacientes particulares ou de convênios no HBJ. Para evitar que provas sejam produzidas para denunciar estes absurdos, a administração do hospital não emite qualquer manifestação escrita, apenas informando “de boca” que os médicos não podem tratar seus pacientes no HBJ.

Tendo em vista que o Código de Ética da Medicina:

  • Assegura ser direito do médico internar e assistir seus pacientes em hospitais privados e públicos com caráter filantrópico ou não, ainda que não faça parte do seu corpo clínico, respeitadas as normas técnicas aprovadas pelo Conselho Regional de Medicina da pertinente jurisdição.
  • Proíbe o médico de usar de sua posição hierárquica para impedir, por motivo de crença religiosa, convicção filosófica, política, interesse econômico ou qualquer outro, que não técnico-científico ou ético, que as instalações e os demais recursos da instituição sob sua direção, sejam utilizados por outros médicos no exercício da profissão, particularmente se forem os únicos existentes no local.

Informamos que todas as autoridades competentes já foram notificadas sobre esses fatos, os quais foram somados às demais sindicâncias já em curso contra a administração do HBJ e o ISEV. Além disso, informamos que as medidas judiciais cabíveis serão tomadas para assegurar nosso direito de continuar a cuidar e tratar dos pacientes e atender às suas famílias.

Agradecemos ao apoio de todos os cidadãos e pedimos para que continuem a exigir das autoridades públicas a melhoria nos serviços de saúde de Taquara.”

Compartilhar nas redes sociais: