Temperatura agora:   9.5 °C   [+]

Membros do Conselho de Saúde buscam explicações com direção do Hospital de Taquara

Representantes do Conselho Municipal de Saúde de Taquara reuniram-se, na tarde desta quinta-feira, com a direção do Instituto de Saúde e Educação Vida (ISEV). Na ocasião, os diretores explicaram o afastamento dos médicos feito no Hospital Bom Jesus, afirmando que foram cinco profissionais que deixaram o hospital, por problemas de atendimento e não cumprimento do acordado de assegurar o funcionamento da urgência e emergência. Depois da reunião, em nota, o ISEV corrigiu a informação, dizendo que seriam quatro os profissionais afastados. No encontro, os diretores reforçaram que o hospital está garantindo, a partir de agora, os serviços da área de urgência e emergência e com previsão de retomar os atendimentos eletivos.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A reunião, acompanhada com exclusividade pelo Jornal Panorama, foi tensa e teve momentos de trocas de farpas. O diretor-técnico do Hospital, Carlos Henrique Bauermann, esclareceu que o vínculo dos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) é com o hospital e não com os médicos. Portanto, segundo ele, é possível a troca do profissional que está fazendo o atendimento.

Bauermann esclareceu que foram cinco médicos demitidos, nominando-os ao Conselho de Saúde. Segundo o diretor, foram afastados os médicos Paulo Morassutti, Tiago Maschmann, Heriberth Adam, Richard Pereira dos Santos e Carlos Alberto Pimentel. Todos, segundo ele, por problemas relatados de relacionamento, incompatibilidade de trabalho, entre outras questões. O diretor reforçou que foram contratados outros profissionais que assumiram as funções destes médicos, para viabilizar o funcionamento do setor de urgência e emergência. Bauermnan disse que todos os casos relacionados aos profissionais estão documentados.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Em vários momentos, os conselheiros contestaram as posições dos diretores do Instituto Vida e fizeram questionamentos. Adalberto Lemos disse que o objetivo do Conselho é defender o usuário do serviço de saúde. Manifestou preocupação com a troca repentina de médicos, uma vez que cada profissional tem o histórico do paciente a que está atendendo e essa substituição poderia gerar descontinuidade no serviço.

O diretor técnico acrescentou que o hospital está se preparando para tentar retomar as cirurgias eletivas a partir da próxima semana, inclusive com a tentativa de fazer um mutirão para recuperar os atendimentos perdidos. Outros temas de financiamento do hospital também foram discutidos no encontro do Conselho de Saúde com os diretores do Bom Jesus. A vice-presidente do Conselho, Cristina Pereira David, informou que, na próxima terça-feira, haverá uma nova reunião extraordinária do órgão para discutir a situação do hospital. A ideia é que um representante do Conselho passe a fazer o acompanhamento permanente da casa de saúde.

Integrantes do Conselho Municipal de Saúde foram até o Hospital Bom Jesus após notícia da saída de médicos. Vinicius Linden/Jornal Panorama