Moacir diz que instabilidade política não prejudicou trabalhos da Câmara de Parobé

Geral

Atual presidente da Câmara foi prefeito interino até agosto.

Vereadores Ênio Terra, Gilberto Gomes, Maria Eliane, Jorge Graminha e Moacir Jagucheski mostram trabalho de construção de gabinetes novos na Câmara. Vinicius Linden/Jornal Panorama

A instabilidade política vivenciada pela comunidade de Parobé desde as eleições de 2016 não influenciou no trabalho do Legislativo. A opinião é do atual presidente da Câmara, Moacir Jagucheski (PPS), que até agosto desempenhou a função de prefeito interino devido ao impedimento à posse de Irton Feller (MDB). O vereador afirma que, no Executivo, sempre compartilhou as decisões com os colegas parlamentares e reforçou que a Câmara foi bem conduzida por Ênio Terra (PTB), ajudando na destinação de economias à Prefeitura.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




A atual mesa diretora da Câmara realizou, nesta segunda-feira (17), uma coletiva com veículos de imprensa da região em que buscou realizar uma prestação de contas do atual mandato. Nesta terça-feira (18), acontecerá a eleição da nova mesa diretora do Legislativo, com a inscrição de uma chapa que tem o apoio do atual comando da Câmara, comandada por Maria Eliane Nunes (MDB), que deverá assumir a presidência. A oposição não conseguiu se articular, em Parobé, para lançar uma chapa adversária.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Moacir iniciou o encontro com a imprensa agradecendo aos colegas pelos trabalhos e reforçou que, desde 2013, o Legislativo de Parobé vem enxugando os custos e devolvendo os recursos ao Executivo. Somente no atual mandato da mesa diretora, as economias somaram cerca de R$ 2 milhões, em recursos que foram destinados à compra de asfalto, saibro, diesel, reforma de maquinários, entre outros investimentos. “A maioria dos recursos foram destinados à Secretaria de Obras”, informou.

Ao mesmo tempo, o presidente reforçou iniciativas da Câmara de aproximação com a comunidade, como o crescente número de audiências públicas para a discussão dos projetos. Ênio Terra, presidente durante todo o tempo em que Moacir esteve no cargo de prefeito, disse que este foi um objetivo do seu período na condução da Câmara. Outro projeto realizado foi a criação do Prêmio Educador Nota 10, que faz o reconhecimento aos professores da rede municipal. A transparência também foi ampliada, com diversos recursos no site da Câmara, considerada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) uma das melhores do Rio Grande do Sul na disponibilidade de informações à comunidade.

Atualmente, a Câmara está em reformas com a construção de um gabinete para cada vereador. Segundo Moacir, a medida busca conferir maior privacidade aos parlamentares no contato com a comunidade e melhores condições de trabalho. Além disso, será construído, no espaço que antes abrigava as salas do jurídico e contabilidade, um mezanino para receber estes setores e, embaixo, haverá um plenarinho, que passará a sediar as reuniões das comissões e encontros com a comunidade. As obras, com o custo de R$ 179 mil, estão em andamento e ficarão prontas em 2019. Moacir ainda ressaltou que, ao longo dos últimos dois anos, mais de 100 projetos de lei foram analisados pelos vereadores.

Atual comando da Câmara realizou coletiva de imprensa para fazer balanço de 2016 e 2017. Vinicius Linden/Jornal Panorama