Moradoras de Parobé são detidas suspeitas de vender falsas rifas em Paverama

As suspeitas foram liberadas, após o registro na delegacia, por falta de confirmação de veracidade do fato.
As suspeitas de 23, 49 e 57 anos, foram liberadas logo após a prisão.
Foto: BM

Três mulheres, moradoras de Parobé, foram presas suspeitas de vender rifas falsas, no fim da manhã desta sexta-feira (12),  em Paverama, na região do Vale do Taquari, interior do estado.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


De acordo com a Brigada Militar de Paverama, uma ligação anônima informava que três mulheres estavam andando pelas ruas oferecendo uma rifa, que seria para ajudar uma criança deficiente. Na ligação, o informante relatou as características das suspeitas e informou que as mulheres estariam no Centro da cidade.

Os policiais militares saíram em patrulhamento e encontraram as suspeitas na rua Quatro de Julho. As mulheres, de 23, 49 e 57 anos, foram abordadas e foram encontrados blocos da rifa com alguns números já vendidos. Elas informaram aos policiais que estariam vendendo a rifa para colaborar com o tratamento do menino Max Wiliam de Azevedo Júnior, de Novo Hamburgo.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Objetos apreendidos com as suspeitas.
Foto: BM

Diante dos fatos, os policiais deram voz de prisão às suspeitas, que foram conduzidas à Delegacia de Polícia de Paverama. Durante o registro, os policiais pesquisaram na internet e constataram que já havia uma publicação da família do menino.

Os familiares informavam sobre a venda de rifas falsas por pessoas mal intencionadas. Porém, como os policiais não puderam confirmar a veracidade dessa informação, o material foi apreendido e as mulheres foram liberadas.

Fonte: Brigada Militar de Paverama