Morre professora e arqueóloga taquarense Denise Pahl Schaan

Dona de 14 livros, pesquisadora tem contribuição à arqueologia da Amazônia.

Morreu, no sábado (03), a professora e arqueóloga Denise Pahl Schann (foto), taquarense, que atualmente estava radicada em Belém (PA) e atuava como professora da Universidade Federal do Pará. Ela foi vítima de problemas de saúde e faleceu aos 55 anos. É filha do advogado Fernando Schaan e de Gaysita Pahl Schaan.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Denise tem uma contribuição científica importante, ao longo de sua trajetória profissional, à arqueologia, sobretudo na Amazônia. Nos últimos anos, vinha se dedicando a produções audiovisuais, junto com o seu companheiro. Atuou na ampliação dos espaços de formação em arqueologia na Amazônia, criando o Programa de Pós-Graduação em Antropologia, da Universidade Federal do Pará, da qual era fundadora e docente. Também foi presidente da Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB), entre 2007 e 2009.

Escreveu 14 livros, mais de 40 artigos nas principais revistas científicas, cerca de 40 capítulos de livros, entre outras produções acadêmicas. Suas publicações fizeram com que o nome Schaan seja citado em parte significativa da bibliografia relativa à produção acadêmica da arqueologia brasileira. Segundo a professora Márcia Bezerra, da Universidade Federal do Pará, que escreveu um artigo sobre o falecimento de Denise, a morte precoce da taquarense causa um forte impacto na comunidade acadêmica.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE