Panorâmica

Tem coisas na vida que estão tão perto, tão obvias, que precisamos de uma distância para enxergar. Coisas que às vezes são nítidas para quem está de fora, mas que pelo nosso ângulo, tão próximo, fica impossível de ver e reconhecer. O cotidiano nos deixa dessensibilizados, as intenções e interesses nos fazem fantasiar, os sentimentos camuflam ou decoram, e a mente não recebe a informação correta para que, a partir desta visão, possamos fazer o melhor proveito de nós mesmos.

Do que estou falando?!

Falo da vida, do trabalho, dos amores, amigos, família, falo da casa, da saúde, das alegrias e tristezas.,Falo de quem somos. Falo dos dias comuns da vida.

Sugiro que façamos uma “panorâmica”, um olhar mais contemplativo sobre nós mesmos.

O mais comum a todos é andar sem parar, sem colocar sentimentos, nem atenção, acordar e dormir todos os dias apenas cumprindo a agenda, fazendo o que tem que ser feito, compromissos profissionais ou sociais, e as questões de ordem fisiológica, sempre em busca do resultado final, quer seja ele de curto, médio ou longo prazo. Mas onde fica a emoção do caminho? Se viver é ir adiante todos os dias, como viver sem apreciar a paisagem?

Quando viajamos a um lugar novo e desconhecido fazemos isto naturalmente, por que não fazer no nosso aqui e agora? Todos os dias? O lugar que habitamos é sagrado. Não falo só da região ou cidade, falo de corpo e alma.

Dar atenção à cama em que dormimos, à comida que colocamos no nosso corpo, as amizades que cultivamos, à vista da janela da nossa casa, à leitura que escolhemos, às músicas que ouvimos, às informações que recebemos, às atividades que nos propomos fazer, à roupa que escolhemos vestir, à imagem que escolhemos ter. Tudo isto vai estar de dentro para fora, muito mais integrado aos nosso valores e com uma função positiva de nos automotivar. Tudo são escolhas diárias, e estas sem custo algum e com muito valor agregado.

Pare, respire, relaxe e filtre apenas as coisas que mais gosta e admira em você e deixe o melhor do seu entorno entrar.

Faça sua panorâmica, uma visão ampla e contemplativa sobre a própria vida.

Não é fácil, mas é mais simples do que se pensa, e vale muito.

Pense nisto.