Prefeitura de Taquara define futura utilização de prédio da UPA

Geral

Prédio na avenida Amoretti sediará o Posto 24 Horas.

A Prefeitura de Taquara deverá encaminhar, nos próximos três meses, a documentação necessária para adequar a utilização do prédio da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) cuja construção está paralisada na avenida Sebastião Amoretti. Em vez de uma UPA, o imóvel será utilizado para o Posto 24 Horas e outras unidades da saúde. Taquara não contará, portanto, com uma UPA 24 Horas, devido à impossibilidade de manter esta estrutura.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




A revelação foi feita pelo secretário de Saúde, Vanderlei Petry, em recente entrevista ao programa Painel 1490, da Rádio Taquara. Segundo ele, no dia 5 de novembro, foi publicada uma portaria do Ministério da Saúde e, logo após, uma nota técnica do governo do Estado, permitindo aos municípios que possuem UPAs em construção, mas não conseguiram colocar os espaços em atividade, façam a readequação do uso dos prédios, desde que para serviços de saúde. “Isso dá a possibilidade, não só para Taquara, de terminar a obra, não como UPA, mas para usar com outra finalidade”, disse Petry, lembrando que este foi um pleito de vários municípios, reforçando que, no caso taquarense, o prefeito Tito Lívio Jaeger Filho se envolveu em diversas reuniões junto à Famurs [Federação de Municípios] para buscar estas decisões do governo.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Agora, segundo Petry, Taquara está finalizando os projetos visando a adequação do espaço, que, quando pronto, deverá sediar o Posto de Saúde 24 Horas, o atendimento à Saúde da Mulher, o ambulatório de Saúde Mental, além de um Centro de Especialidades, reunindo cardiologista, infectologista, neurologista, entre outros, que hoje atendem em espaço pequeno junto ao posto central. Na unidade da rua 17 de Junho, a Prefeitura pretende instalar o Posto de Saúde do Centro, bairro que ainda não possui essa unidade, e a implantação da Estratégia de Saúde da Família (ESF), com duas equipes, para a área central.

Petry informou que a Prefeitura tem 90 dias para obter toda essa documentação, que envolve os novos projetos de engenharia e a aprovação junto a órgãos como as comissões gestoras regional e estadual. A proposta, inclusive, já foi aprovada pelo Conselho Municipal de Saúde. No tocante ao término da obra na Amoretti, o secretário disse que ainda há cerca de R$ 700 mil depositados para os trabalhos que antes seriam destinados à UPA. Com as portarias da União e do Estado, este valor poderá ser empregado na construção. Caso contrário, teria que ser devolvido. “Estamos bastante felizes com este encaminhamento, por dar uma utilização a esta obra que estava se deteriorando”, comentou Petry.

Prédio que abrigaria a UPA está com construção inacabada às margens da avenida Amoretti. Vinicius Linden/Jornal Panorama