SEGURANÇA PÚBLICA

Principais indicadores de criminalidade têm queda na região em 2018

Homicídios e roubos sofreram redução expressiva no último ano em relação a 2017.

Alguns dos principais indicadores de criminalidade tiveram forte redução no ano passado no Vale do Paranhana. Entre eles, estão homicídios, abigeato (furto de gado), furto de veículo, assaltos e estelionato. Na contramão, o índice de latrocínios subiu 300% no Paranhana, somando quatro casos em 2018, contra um de 2017. Os indicadores da criminalidade no Estado relativos ao ano passado foram divulgados nesta quarta-feira (9) pela Secretaria Estadual de Segurança Pública.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Os dados mostram que os homicídios caíram 37% na região em 2018, com 17 casos e Parobé na liderança. Durante o ano, o município foi atemorado por execuções de grupos ligados a facções criminosas. Em recente entrevista à Rádio Taquara, o secretário de Segurança de Parobé, Ricardo Juarez, lembrou que os indicadores de criminalidade diminuíram após uma operação da Polícia Civil que prendeu integrantes de uma quadrilha que estava atuando em Parobé. O segundo município em número de homicídios é Taquara, com cinco casos. Depois, aparece Rolante, com três, enquanto Igrejinha e Três Coroas têm um homicídio cada. O número de vítimas também diminuiu 31%, segundo os dados da SSP, caindo de 29 para 20.

Já um crime que teve aumento na região é o assalto seguido de morte, o latrocínio. Foram quatro casos em 2018, dois em Parobé e outros dois em Taquara. No ano anterior, havia ocorrido um latrocínio, em Taquara. Um dos casos mais emblemáticos de latrocínios de 2018 foi o que envolveu a morte de uma mulher que pulou do carro, em Taquara, após bandidos invadir a residência. A Polícia Civil conseguiu esclarecer o caso e prendeu suspeitos do crime.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Outros indicadores

Os furtos tiveram aumento de 1,33% na região, somando 1.896 casos. Já os casos de abigeato caíram 19% , enquanto furtos de veículos diminuíram 35%. Os assaltos caíram 18%, e a região deixou de ter a média histórica de dois casos por dia, registrando um roubo a cada 15 horas. Para esta estatística, Panorama soma os números de roubos de veículos com os assaltos cujo item levado pelos ladrõe não é um veículo. A SSP trata os dois indicadores de forma separada.

Os delitos relacionados a armas e munições, que envolvem o trabalho das polícias nas apreensões realizadas na região, caíram 17%. Os flagrantes de posse de drogas também diminuíram, com queda de 12%. Já os flagrantes de tráfico de drogas subiram 7%.