Temperatura agora:   17.0 °C   [+]

Professora de Parobé cria ‘Corrente do Bem’ e troca aulas particulares por alimentos para doação

Queli dos Santos Costa, 33, é formada em Pedagogia com especializações na área da Educação Inclusiva e das Dificuldades e Transtornos de Aprendizagem.

Em momentos difíceis como este que estamos vivenciando, em que as pessoas precisam manter o distanciamento social – devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) – surgem novas ideias e formas de colaborar com o próximo. Nesse sentido, a professora de Parobé, Queli dos Santos Costa, 33 anos, formada em Pedagogia e com especializações na área da Educação Inclusiva e das Dificuldades e Transtornos de Aprendizagem, idealizou uma forma de poder ajudar, tanto os alunos, que estão passando por dias e dias sem aulas, quanto à população mais necessitada, que passa por dificuldades nesse momento de crise financeira.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




A professora Queli é moradora de Igrejinha, mas leciona em Parobé nas escolas EMEF Noemy Fay dos Santos e EMEF João Ângelo Pandolfo. Ela diz estar inquieta com o momento atual, em que as crianças estão afastadas das escolas e muitas famílias estão passando por necessidades. “Pensando na situação dos alunos que precisam de apoio, mas também na crise financeira, eu, como professora, psicopedagoga e neuropsicopedagoga, tive uma ideia. Vou abrir minha casa para atender aos alunos que precisam de ajuda para realizar alguma tarefa ou que precisam de reforço”, idealiza Queli.

A psicopedagoga relata que tem atendido alunos e ex-alunos do município de Parobé, via whatsapp, para tirar dúvidas e enviar atividades como sugestão às famílias, que buscam incentivar as crianças a manterem uma rotina de estudos. Como é o caso dos gêmeos Rafael Eduardo Moreira e Yuri Gabriel Moreira, que já receberam e estão desenvolvendo as atividades de reforço em casa. Tatieli da Silva Moreira, mãe dos meninos, entrou em contato com a professora e pediu auxílio, para que as crianças não ficassem desocupadas durante o distanciamento social.  


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“A ideia é tentar diminuir a lacuna das dificuldades apresentadas por alguns alunos. Algumas crianças têm mais dificuldades e, por vezes, os pais não sabem o que ou como fazer. A meu ver, isso distancia ainda mais essa criança ou adolescente da aprendizagem, fazendo com que, ao retornarem às aulas, ele apresente ainda mais dificuldade de acompanhar a turma”, explica a professora.

De acordo com Queli, as aulas para os alunos que precisem de reforço ou mesmo de apoio para realizar alguma tarefa, poderão ser trocadas por algum tipo de alimento. “Se os papais e mamães não têm condições de pagar uma professora particular, vamos fazer o seguinte: vamos negociar! O que você tem a oferecer? Algum fruto do seu trabalho, algo na sua plantação, da sua hortinha, umas bergamotas ou mesmo um litro de leite ou um ou dois quilos de alimentos?”, propõe a professora.

Os alimentos arrecadados com a proposta de Queli seriam para uso próprio e o restante a professora se compromete em doar para famílias carentes, criando assim a “Corrente do Bem”. “Aquilo que você tiver para me doar, em troca das aulas particulares, e eu não precisar, doarei para quem precisa. Assim, vamos fazer uma corrente e ajudarmos uns aos outros”, disse Queli.

Para participar dessa corrente, conciliando aulas particulares para crianças e doações de alimentos para famílias carentes, é só entrar em contato. O telefone e whats é o (51) 9 9924-9083; pelo e-mail queliscosta@hotmail.com, ou ainda em seu perfil profissional do Facebook, Profe Queli, que está disponível nesse link: https://www.facebook.com/profile.php?id=100006183558207.