Projeto que proíbe canudos plásticos em Taquara sofrerá modificações

Geral

Proposta foi retirada de pauta para receber emendas dos vereadores.

O projeto de lei que trata da utilização de canudos para o consumo de bebidas não deverá ser analisado na sessão desta segunda-feira (26) do Legislativo de Taquara. Segundo o presidente da Câmara, Guido Mário Prass Filho, a matéria foi retirada de pauta para receber emendas dos vereadores. O texto prevê que os restaurantes, lanchonetes, bares e similares, bem como os órgãos da administração pública, ficarão obrigados a usar e fornecer canudos de material comestível ou de papel biodegradável ou reciclável. Os canudos de plástico serão proibidos. A proposta, de autoria da vereadora Mônica Facio (PT), surgiu de um projeto desenvolvido por uma turma do Colégio Theóphilo Sauer.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Na mensagem explicativa ao projeto, a vereadora Mônica conta que foi convidada pela turma 051 do educandário a conhecer o projeto “Chega de Canudinho”, desenvolvido entre as propostas de metodologia científica que vem sendo incentivadas pela Secretaria de Educação. “Quando, a convite dos alunos, estive em sua sala de aula eles me explicaram o porquê de minha presença, que queriam que eu formulasse uma lei que regulasse a utilização dos canudinhos em nossa cidade, pois diversos animais marinhos estão sendo prejudicados e sofrendo riscos pelo plástico que entra em seus organismos, devido ao descarte incorreto destes materiais”, contou a vereadora.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“A ideia de que a produção de uma quantidade menor de plástico pode ocorrer com a simples proibição do uso de canudos plásticos, de que é possível, sem a necessidade de tamanho esforço, desistir do uso dos mesmos, tendo em vista que não dependemos deles, salvo algumas exceções e de que muitos problemas ambientais podem ser solucionados substituindo o canudo de plástico por outro material (sendo reutilizável ou decomposto mais facilmente na natureza). Ressaltando que a produção de canudos de plástico também amplia o consumo de petróleo (fonte não renovável), que será poupado com a abolição do uso desses canudos”, acrescentou Mônica. A vereadora informou, ainda, que o Rio de Janeiro já proibiu o uso dos canudos, citando, ainda, a existência de projeto de lei em tramitação no Senado, visando a mesma medida, assim como em outros municípios do país.