TAQUARA

Representantes dos Coredes do Estado debatem plano de ação na Faccat

Encontro estadual sediado em Taquara segue até esta quinta-feira (8).
Representantes de todos os Coredes do Estado estão avaliando suas ações em evento na Faccat. Divulgação/Claucia Ferreira/Faccat

Representantes dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) do Rio Grande do Sul participam do XXI Encontro Anual de Avaliação e Planejamento dos Coredes, que segue até quinta-feira, dia 8 de novembro, no auditório 3 do Centro de Eventos das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat). O encontro tem por principal meta oportunizar a troca de experiências e proposições que permitam o avanço na busca do desenvolvimento sustentável e harmônico nas diversas regiões do Estado, além de avaliar o conjunto de ações desenvolvidas pelo Fórum dos Coredes do Estado no último ano.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




“Estamos hoje buscando alternativas para o Vale e para as outras regiões do Estado. Os Coredes são organismos importantes do Rio Grande do Sul porque abrange todo o Estado com os 28 Coredes. Desta forma se congrega em blocos todas as prefeituras, os municípios e as comunidades”, salienta o presidente do Corede Paranhana/Encosta da Serra e diretor-geral da Faccat, Delmar Backes, durante a abertura do encontro, que ocorreu na manhã de terça-feira, dia 7 de novembro.

Do cerimonial de abertura também participaram a presidente do Fórum dos Coredes/RS, Munira Medeiros Awad; o prefeito de Taquara, Tito Lívio Jaeger Filho; o prefeito de Parobé, Irton Feller; o prefeito de Três Coroas, Orlando Teixeira dos Santos Sobrinho; e o prefeito de Igrejinha e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Paranhana (Ampara), Joel Leandro Wilhelm, entre outras autoridades.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Avaliar ações para ajudar no desenvolvimento das regiões

A presidente do Fórum dos Coredes/RS, Munira Medeiros Awad, comenta que é preciso união entre os Coredes para fortalecer o trabalho junto ao governo do Estado. “Somos um conselho reconhecido e premiado nacional e internacionalmente. São mais de duas décadas de muito trabalho. O que esperamos do próximo governo é a mesma parceria e que nos próximos anos tenhamos o mesmo alinhamento na qualidade de vida de todos nós”, enfatiza Munira, destacando ainda que é preciso avaliar as ações do Fórum e dos Coredes para melhorar os resultados. “Temos que medir nossas ações e ver o impacto destes trabalhos no presente. Temos nossos compromissos com a sociedade. Temos que alinhar o nosso planejamento estratégico para saber como vamos seguir pelos próximos quatro anos”, sintetiza.

Coredes são essenciais

Na avaliação do presidente da Associação dos Municípios do Vale do Paranhana (Ampara), o prefeito de Igrejinha, Joel Leandro Wilhelm, os estados brasileiros deveriam ser tratados da mesma forma. “Quero um país que realmente valorize os seus municípios, onde os recursos possam ficar nas cidades. Neste sentido, os Coredes são fundamentais para ajudar na aplicação dos recursos que os municípios recebem. Os Coredes ajudam a pensar o que é o melhor para a cidade e para o Estado, já que os recursos que recebemos do governo federal são cada vez mais escassos”, enfatiza Joel, revelando ainda que o Brasil é o sétimo país do mundo que mais arrecada impostos, mas longe do estar na sétima posição quando o assunto é o retorno destes impostos para a população.

Munira Award disse que é preciso união entre os Coredes para fortalecer o trabalho junto ao governo do Estado. Divulgação/Cláucia Ferreira/Faccat

Palestrantes

Durante o XXI Encontro Anual de Avaliação e Planejamento dos Coredes os professores doutores Tomás Pinheiro Fiori e Antônio Cargnin também debateram sobre a ação política na busca do desenvolvimento regional e a capacidade de implementar os Planos estratégicos de Desenvolvimento. Além disso, também foi apresentado para os participantes, entre outros assuntos, o projeto integrado da Defesa Civil no Paranhana. O criador e coordenador da Oficina Regional Voluntária de Defesa Civil do Vale do Paranhana, Cláudio Silva da Rocha, apresentou a trajetória do trabalho da Defesa Civil da região.

Cláudio Rocha apresentou trabalho da Oficina Regional de Defesa Civil. Divulgação/Claucia Ferreira/Faccat