Rescisões de funcionários do Hospital de Taquara totalizam R$ 2,2 milhões, diz Scopel

Geral

Entidade afirma que precisa de repasses do Estado e da Prefeitura para efetuar pagamentos.

A Associação Silvio Scopel, gestora do Hospital Bom Jesus de Taquara até a última segunda-feira (9), informou à Justiça Federal dados relacionacionados à rescisão dos funcionários da casa de saúde. A entidade sustenta que efetuará todos os pagamentos, mas precisa de recursos a serem destinados pelo governo do Estado e da Prefeitura de Taquara. Segundo a Scopel, o último repasse do Estado ocorreu no início de fevereiro, portanto, há quase um mês e meio não há entrada de recursos novos, o que inviabiliza os pagamentos. A folha de fevereiro, segundo a entidade, está pronta para ser paga, faltando apenas a entrada dos recursos.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


No documento encaminhado à Justiça, a Scopel afirma que realizou as rescisões de todos os seus funcionários, totalizando aproximadamente R$ 2,2 milhões. A entidade afirma que é necessário que o Estado e a Prefeitura cumpram a determinação judicial na íntegra e depositem os valores devidos. A Scopel ainda defende que os repasses devem ser efetuados em sua própria conta e no montante de R$ 4,2 milhões. Este valor seria suficiente para efetuar o pagamento de todos os salários e as verbas dos funcionários do hospital.

“E, por fim, é necessário deixar claro que os funcionários do HBJ são merecedores do recebimento de seus salários e verbas em dia, e isso só não fora cumprido na íntegra pela ora manifestante [Scopel] pelo mesmo motivo de agora, o Estado e o Município de Taquara não repassam os valores à ABSS, ficam trancando pagamento, não seguem determinação deste MM. Juízo e acabam sempre prejudicando quem arduamente trabalhou no hospital”, diz a entidade. “Em suma, contrataram o serviço e não realizam o pagamento, sendo assim a ABSS não consegue cumprir com suas obrigações perante seus funcionários”, completa a Scopel.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE