RGE faz inspeções e encontra mais de 300 irregularidades na rede elétrica de Taquara

Serviço foi realizado em 2018 e flagrou 29,6 mil adulterações ou conexões clandestinas.

As equipes da Rio Grande Energia (RGE) realizaram, em 2018, 126 mil inspeções nas suas redes de energia elétrica para identificar adulterações e conexões clandestinas – os populares gatos. Deste total, 29.670 ligações apresentaram algum tipo de problema, correspondendo a 23,38% do total. Nesta sexta-feira (08), a concessionária divulgou uma lista com as 20 cidades em que mais ocorreram inspeções, e Taquara foi uma delas, somando 338 casos irregulares.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Segundo a distribuidora, as inspeções são realizadas para evitar problemas na rede de energia elétrica e garantir a segurança da população. O foco dessas ações, contínuas em todas as distribuidoras do Grupo CPFL Energia, é evitar acidentes com as ligações precárias e que não observam os padrões e normas técnicas. As fraudes e furtos de energia são crimes previstos no Código Penal, e a pena pode variar de um a quatro anos de detenção.

Além disso, para os fraudadores também são cobrados os valores retroativos referentes ao período em que ocorreu o furto, acrescidos de multa. A RGE, além das demais distribuidoras pertencentes ao Grupo CPFL, tem atuado em parceria com o poder público para coibir estas práticas, inclusive com a intensificação das ações conjuntas com a Polícia Civil gaúcha.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Durante o ano passado, uma média de 81 ligações clandestinas foi detectada por dia nas inspeções da distribuidora. Mesmo que as ações policiais tenham como foco principal os clientes comerciais e empresariais, as operações da distribuidora também abrangem os clientes residenciais, que integram a maior parcela dos clientes ativos.

Segundo o Gerente de Serviços de Recuperação de Energia da RGE, Alexsandro da Silva Souza, uma vez identificado qualquer tipo de alteração na medição da energia consumida, são realizados os cálculos da quantidade de energia furtada e fixada a cobrança do valor que não passou pela medição. “O Grupo CPFL utiliza modernas tecnologias que, através de algoritmos, identificam possíveis sinais de desvio de energia, além da instalação de medidores que mostram, de forma imediata, uma manipulação indevida no equipamento ou o não registro de algum valor consumido”, explica Souza. Desta forma, as inspeções são realizadas buscando ter o maior nível de assertividade.

Para identificar os fraudadores, além das inspeções de campo, os profissionais trabalham com o cruzamento de dados de consumo e inteligência artificial, que permitem identificar com mais precisão possíveis fraudes. Geralmente os casos que apresentam irregularidades constatadas nas inspeções já apresentavam indícios no levantamento prévio feito pelos sistemas do Grupo CPFL, controlador da RGE.

Segurança

A concessionária destacou que rastrear e fazer o desligamento dessas ligações clandestinas é uma questão de segurança para a população. Também ajuda a evitar curtos-circuitos que afetam a rede e que, em muitos casos, provocam o desligamento e a queima de equipamentos e eletrodomésticos de ruas inteiras, além do risco de incêndio de imóveis destas localidades.

Consumidores que adotam esta prática, popularmente conhecida como “gato”, também estão colocando em risco as suas vidas e da população. Pessoas não habilitadas que tentam manipular o medidor de energia ou realizar ligação direta na rede elétrica correm o risco de choque e acidentes graves, que podem ser fatais.

As ligações irregulares também são responsáveis pela sobrecarga da rede de energia elétrica que deixa o sistema de distribuição mais suscetível à interrupção. A regularização destes clientes não apenas traz cidadania para essa parcela da população, como também beneficia todos os consumidores com um serviço de melhor qualidade.

As 20 cidades que tiveram o maior número de inspeções em 2018

Cidade Inspeções (2018) Irregularidades %
Gravataí 9624 1758 18,27
Caxias do Sul 8762 2436 27,80
Novo Hamburgo 7812 1893 24,23
Canoas 7755 1929 24,87
São Leopoldo 5743 1231 21,43
Santa Maria 5358 1745 32,57
Cachoeirinha 3833 690 18,00
Passo Fundo 3262 916 28,08
Santa Cruz do Sul 3194 367 11,49
Santo Ângelo 2597 486 18,71
Erechim 2553 673 26,36
Sapucaia do Sul 2195 337 15,35
Sapiranga 2078 299 14,39
Alegrete 1956 410 20,96
Santa Rosa 1882 330 17,53
São Borja 1827 396 21,67
Bento Gonçalves 1662 530 31,89
Campo Bom 1630 255 15,64
Vacaria 1456 400 27,47
Taquara 1433 338 23,59