Sem passarela ou ciclovia: projeto das obras de duplicação da ERS-239 vai parar no MP

É a segunda vez que o pedido de revisão e alteração do projeto chega à Promotoria de Justiça, desde o início das obras.

A Associação dos Amigos dos Ciclistas de Taquara (Atac) e a Associação de Moradores dos Bairros Ideal e Medianeira buscaram, na tarde desta segunda-feira (25), apoio junto ao Ministério Público para que a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) revise o projeto de duplicação da ERS-239 entre Taquara e Rolante. O principal motivo apontado pelo grupo foi a necessidade de construção de uma ciclovia, no trecho que está sendo duplicado, além de uma passarela entre os acessos dos bairros Ideal e Medianeira.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Conforme Humberto Klein, tesoureiro da (Atac), sem a ciclovia e a passarela no projeto, a EGR descumpre a Lei de Mobilidade Urbana Federal, não oferecendo acesso entre os bairros, e obrigando a ciclistas e pedestres a se deslocarem pelo acostamento da rodovia. Algo que, segundo ele, representa risco de morte à população. “Não queremos impedir a conclusão das obras de duplicação da rodovia, pois entendemos que é necessária. Mas também não podemos aceitar o descaso com nossa população que está exposta à insegurança no trânsito, por um descumprimento de Lei”, disse Klein.

De acordo com o tesoureiro, essa é a segunda vez que o grupo leva a demanda à Promotoria. Da primeira vez, o pedido da população foi indeferido, depois de ser justificado pela EGR. Na reunião desta segunda-feira, a promotora Ximena Cardozo Ferreira ouviu o grupo. Disse que pretende encaminhar alguma solução para o caso, junto à EGR, ainda nesta semana. Porém, de forma que não necessite paralisar as obras de duplicação da rodovia, ou postergar novamente a conclusão delas, que já deveriam ter sido concluídas, caso fosse considerado o prazo divulgado no início do trabalho.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Também participaram da reunião, representantes do Legislativo e Executivo taquarense e do Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Paranhana e Encosta da Serra (Corede).

Obras devem ser finalizadas em dezembro

Em contato com a reportagem do Jornal Panorama, na manhã desta terça-feira (26), a assessoria de imprensa da EGR confirmou que a conclusão das obras permanecem dentro do último prazo divulgado pela concessionária, dezembro deste ano. O prazo anterior era outubro deste ano.

Leia mais: