Taquara discute cadastro de famílias atendidas pelo ESF

Geral

Taquara possui 49 agentes de saúde atendendo a comunidade em suas próprias residências, em todos os bairros do Município.

 Enfermeira Andressa, coordena os Agentes de Saúde em Taquara. Ela foi a responsável por ministrar o encontro. Divulgação / Magda Rabie

Agentes de Saúde de Taquara participaram, na semana passada (6), de treinamento direcionado ao cadastramento de usuários na Estratégia de Saúde da Família – ESF. Conduzido pela enfermeira, especialista em Vigilância em Saúde, Andressa Kelenn Lima Martins, que atualmente coordena os agentes de saúde no Município, o encontro pautou sobre o novo financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e o cadastro dos usuários ao sistema. A mesma reunião já havia sido realizada, na quarta-feira (4), com os enfermeiros da ESF. Seguindo o calendário de treinamentos e capacitações, destinados aos agentes de saúde, no dia 31 de março, às 13h30min, ocorre encontro com a nutricionista, Fabíola Frezza Andriola, no auditório do SESC


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Conforme mencionou a coordenadora Andressa, a partir de mudanças estabelecidas pelo Ministério da Saúde (MS), diversos dados devem ser atualizados e cadastrados, abastecendo o novo sistema. “Temos que fazer um esforço para cadastrarmos o maior número de usuários para não perdermos nenhuma verba, pois antes à mudança estabelecida pelo Ministério da Saúde, as verbas destinadas aos municípios tinham como referência o número populacional, hoje esta destinação está vinculada aos indicadores / usuários cadastrados”, explica.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Taquara possui 49 agentes de saúde atendendo a comunidade em suas próprias residências, em todos os bairros do Município. Andressa comenta que mesmo as famílias que não são atendidas pelos agentes de saúde, ou por terem uma condição financeira mais favorável ou simplesmente por não quererem esta assistência, devem ter o seu cadastro no SUS, pois de alguma forma, já utilizaram, utilizam, ou vão precisar do serviço em algum momento.

“É muito importante que a comunidade saiba a importância deste cadastramento para a saúde pública, para o recebimento de verbas na área. Estamos pensando em diversas estratégias para otimizar o serviço e melhorar a comunicação entre as equipes, pois cada Unidade Básica de Saúde tem a sua especificidade, mas há dados pertinentes a todos. O município precisa deste esforço coletivo para construir estas questões com relação a cadastro, à visita, à qualidade da assistência. Um trabalho de articulação dos agentes de saúde, com os enfermeiros que são a sua referência em cada UBS, com a coordenação, a gestão e a comunidade. Trabalhando juntos vamos conseguir atingir nossas metas, melhorar os indicadores com dados consistentes, os quais levaremos à apreciação do Ministério da Saúde”, afirma a coordenadora.