Tem que ter graça, por Érica Ostrowski

Estilo & Comportamento

Tem que ter graça

“Meia Taça

 É meio porre

 Meio amor é meio farsa

 Ou é inteiro

Ou não tem graça”

Palavras do livro “Micrices Adestradas”, de Bubi Alles, poeta e fotógrafo gaúcho que há muito foi-se daqui para a Paraíba, versos que fazem parte das minhas citações há cerca de vinte anos, provavelmente por ter me tocado ou simbolizado algo importante ao interpretá-lo. E disto que quero falar, sobre meio copo cheio ou meio vazio, meia intenção, meio do caminho ou um meio de lá estar.  Estar aonde? Quando e por quê?

Divagando… Quando se tem uma vontade, ela tem que ser inteira, caso contrário não passará as adversidades, desde a nossa própria preguiça até os trâmites para tal, como, por exemplo, iniciar um curso, participar de um grupo de voluntários ou de estudos, iniciar atividade física. Alguma ação que nos fará mudar de rotina, de itinerário ou de hábito. E aí entram os versos do amigo Bubi, tem que ser inteiro. Não chegaremos a lugar algum se ficarmos na metade, com ideias na cabeça, sonhos na nuvem, projetos apenas no papel e vontades sem ação.

Tudo na vida tem ônus e bônus, tudo no ser humano é em busca de prazer, satisfação ou para evitar um sofrimento. Então, caso não estejamos em algum momento especial de vida, onde de fato se faz necessário atenção total, temos que ter coragem para se entregar, fazer de fato e de verdade as coisas acontecerem, mesmo que seja necessário paradas estratégicas para reprogramar a rota, abastecer e seguir adiante. Mesmo que o inteiro venha em pequenas doses, porém contínuas.

Sou uma sagitariana intensa que a maturidade, ou melhor, a maturação me faz mais leve. Ao menos é assim que me sinto, sem perder o brilho no olho e a gana de fazer mais e melhor, me superar. E não por competição alguma, por prazer de experimentar, o que ainda não fiz ou não realizei, de planejar e vislumbrar algo novo ali na frente, ou ao lado ou dentro de mim.

Compre a passagem, faça a matrícula, escreva aquele e-mail, entre em contato, reserve o hotel; Embarque imediato. Caso nada mude, o máximo que pode acontecer é o que você já tem. Sempre temos alguma taça à espera de ficar completa.

Nada de meio amor, nada de meia taça, ou é inteiro ou não tem graça.

Por Érica Ostrowski
Consultora de imagem pessoal
[Leia todas as colunas]

Compartilhar nas redes sociais: