Temperatura agora:   20.7 °C   [+]

Titinho autoriza a reabertura do comércio em Taquara

O prefeito de Taquara, Tito Lívio Jaeger Filho, anunciou, nesta quinta-feira (16), a liberação para a retomada de funcionamento do comércio no município. A medida contraria o decreto do governador Eduardo Leite, que, nesta quarta-feira (15), estendeu as restrições até 30 de abril para os municípios que integram a Região Metropolitana de Porto Alegre, caso de Taquara. Mesmo com a liberação, Tito informou que haverá uma série de regras para o funcionamento dos estabelecimentos, várias delas já contempladas em decretos anteriores, e com a principal novidade da limitação de um cliente por vez por atendente e o uso obrigatório de máscaras no interior das lojas.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




O anúncio do prefeito foi realizado em uma transmissão ao vivo nas redes sociais. Titinho iniciou comentando que Taquara segue em uma linha estável, possui apenas um caso de coronavírus confirmado, de um paciente que já teve alta. Ressaltou que administração municipal tomou medidas, como a manutenção da limpeza, reforço nos postos de saúde, criação de um espaço exclusivo para atender a comunidade com quadro de sintomas gripais. Reforçou, ainda, a abertura do Hospital Bom Jesus, com a condição de referência regional para o combate ao coronavírus.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O prefeito voltou a criticar o decreto anterior do governador, que fechou o comércio até 15 de abril. Segundo Tito, naquele documento, as indústrias foram liberadas para trabalhar, enquanto o comércio continuava fechado, o que gera discrepâncias entre regiões do Rio Grande do Sul com base em suas principais forças econômicas. Titinho lembrou que, nos últimos dias, estava na expectativa de que o governador mudasse o decreto, e até mesmo encaminhou ofícios a Eduardo Leite pedindo que atribuísse aos prefeitos a autonomia para gerenciar essas situações com relação às condições dos seus municípios.

Titinho disse que o novo decreto de Leite não é justo para municípios como o caso de Taquara, e considerou mais adequado para cidades com maior densidade demográfica. O prefeito citou que, nesta quinta-feira, a administração municipal já retomou as suas atividades. E disse que, com respeito ao governador e ao Ministério Público, que tem cobrado diariamente em relação às medidas de combate ao coronavírus, com base em uma decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF) que reafirmou a competência concorrente e suplementar dos municípios nessas decisões, autorizaria o funcionamento do comércio.

Mas, Tito estabeleceu diversas condições para este funcionamento. A primeira hora de funcionamento deverá ser reservada às pessoas com mais de 60 anos e integrantes do grupo de risco e, a segunda hora, será preferencial a esse público. O prefeito disse que a administração não permitirá que os idosos e integrantes do grupo de risco sejam atendidos em horários diversos. Além disso, haverá limitação de um cliente por cada atendente que poderá entrar na loja, os demais terão que esperar em uma fila com distanciamento.

O prefeito voltou a cobrar a higienização das calçadas das lojas, evitando o uso de mangueira, e dos acessos aos estabelecimentos. Os estabelecimentos também terão que possuir álcool gel ou uma pia com sabão bactericida na entrada e, além disso, bandeja com esponja encharcada com antibactericida para limpeza das solas dos sapatos dos clientes. Uma das novidades é o uso obrigatório de máscaras dentro dos estabelecimentos e, preferencialmente, nas ruas. O prefeito enfatizou, também, que é obrigação dos proprietários fornecer aos seus funcionários os devidos equipamentos de proteção individual (EPIs), como máscaras, luvas, entre outros.

Tito fez um alerta aos supermercados, de que não são local de passeio, sendo pontos para que as pessoas fiquem somente o tempo necessário para a busca dos seus mantimentos. Neste sentido, pediu aos proprietários deste tipo de estabelecimento que permitam a entrada de apenas uma pessoa, não de famílias inteiras, e tentem evitar ao máximo o acesso de crianças. Reforçou que os funcionários com mais de 60 anos, integrantes do grupo de risco e mães que não têm onde deixar seus filhos devem ser liberados pelos estabelecimentos, sem prejuízo dos seus vencimentos, com a possibilidade de participação em escalas ou home office.

O prefeito informou que a íntegra do decreto será publicada até o final da tarde desta quinta-feira, em que estarão contemplados todos os requisitos que terão que ser seguidos pela comunidade. Enfatizou que, mais uma vez, será necessária a colaboração de todos para que Taquara continue com os atuais indicadores de contágio em relação ao coronavírus.