Titinho explica posição contrária a projeto de reestruturação de cargos da Câmara

Prefeito de Taquara se manifestou em entrevista ao programa Painel 1490 da Rádio Taquara.

O prefeito de Taquara, Tito Lívio Jaeger Filho (PTB), se manifestou, nesta quarta-feira (15), em entrevista ao programa Painel 1490, da Rádio Taquara, sobre uma polêmica envolvendo projeto de reestruturação do quadro de cargos da Câmara de Vereadores. Na segunda-feira (13), a base de apoio da administração municipal atuou para derrubar o projeto, proposto pela presidente do Legislativo, Sirlei Silveira (PTB). Ressaltando que a discordância com a vereadora Sirlei foi referente apenas a este projeto, e que mantém muito respeito pelo trabalho da presidente, Tito confirmou que houve uma manifestação sua junto à base governista para a votação contrária ao projeto. Defendeu que a medida representaria aumento de custos à Câmara, e que há um acerto, desde 2013, de que as economias do Legislativo são encaminhadas para bancar diversos custos do Executivo.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O prefeito iniciou afirmando que o projeto proposto pela mesa diretora não se detinha apenas à questão do quadro de cargos, com as carreiras de cargo de confiança e concursados. Tito explicou que o texto possuía uma reestruturação de padrões dos servidores efetivos, inclusive aumentando as remunerações. Segundo o prefeito, o impacto orçamentário, em 2019, seria de aproximadamente R$ 250 mil, podendo chegar a R$ 500 mil em 2020, com um crescimento anual. Além disso, o chefe do Executivo sustentou que a mudanças nos padrões da Câmara ainda geraria impacto no Executivo, cujos servidores poderiam solicitar as mesmas adequações.

Tito afirmou que existe um acordo desde 2013, com os 11 vereadores da base governista, para que as economias da Câmara sejam devolvidas ao Executivo. O prefeito lembrou que, em gestões anteriores, o Legislativo chegou a possuir até 40 servidores, além de gastar com diárias e cursos. Estes gastos não são mais realizados e, segundo o prefeito, o resultado dessa econonomia foi a compra de máquinas, caminhões, reforma de salas de aula, aquisição de remédios, entre outros investimentos. O prefeito disse que deverá providenciar um levantamento das aquisições possíveis com os recursos da Câmara. Defendeu que, no momento, foi necessário fazer uma escolha, entre providenciar a reestruturação do quadro de cargos ou continuar com a destinação dos recursos para os investimentos necessários do Executivo.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O chefe do Executivo sustentou, ainda, que não vê maiores problemas no fato de a contabilidade da Câmara ser realizada pela Prefeitura. Disse que o serviço é prestado gratuito e, inclusive, pode gerar economias à Câmara, visto que as compras do Legislativo são menores e há vários produtos que, por adquirir em mais quantidade, a administração municipal consegue preços mais em conta. Tito ainda disse que o fato de as mudanças atenderem a apontamentos do Tribunal de Contas do Estado (TCE) não teria sanções à presidência, uma vez que o TCE costumaria apontar estes fatos por defender o provimento dos cargos por concursados, mas não vem aplicando sanções. Acrescentou que a presidente Sirlei estará protegida à medida que poderá argumentar com o TCE que apresentou projeto para correção, mas acabou derrubado pelos seus colegas.

Assista a íntegra da entrevista com o prefeito Tito: