Temperatura agora:   14.0 °C   [+]

Tito encaminha ofício ao governo estadual e pede flexibilização das atividades comerciais

Depois de autorizar, nesta quinta-feira (16), a reabertura do comércio taquarense, com ressalvas relacionadas à prevenção da contaminação pelo novo coronavírus, o prefeito Tito Lívio Jaeger Filho encaminhou um ofício ao governador Eduardo Leite. O documento foi enviado nesta sexta-feira (17), data em Taquara comemora 134 anos. Na redação do ofício, Tito explicou que não deseja afrontar o Estado, mas que, caso o governo mantenha as vedações sobre o comércio e prestadores de serviços locais, o município sofrerá com reflexos, considerados pelo mandatário taquarense, irreversíveis.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



O prefeito intercedeu não apenas em benefício de Taquara, mas estendeu o pedido de flexibilização das medidas de impossibilidade de atendimento ao público do comércio, e das prestações dos serviços, aos municípios de Igrejinha, Rolante e Parobé também. Pediu que, assim como reconsiderou a situação na região metropolitana da Serra, Leite também volte a analisar as medidas para o Vale do Paranhana.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Tito destacou que Taquara optou por seguir as recomendações estaduais, desde o início do período de confinamento. Porém, que algumas situações vêm prejudicando o município – especialmente porque as atividades não consideradas essenciais representam, para Taquara, a maior parte das riquezas municipais, além de serem as que mais geram empregos. O chefe do Executivo municipal justificou o pedido de flexibilização das atividades, destacando que Taquara não possui mais casos positivos, tampouco suspeitos, sendo que o único paciente que testou positivo para Covid-19, na cidade, já recebeu alta – está curado.

O prefeito ainda destacou que o Executivo Municipal não discorda de que há necessidade de adoção de medidas mais severas, em cidades em que a curva de contágio pelo novo coronavírus vem se acentuando rapidamente. Porém, que Taquara, apesar de estar inserida na Região Metropolitana de Porto Alegre, não se enquadra no mesmo perfil demográfico de cidades como Canoas, por exemplo, onde a densidade demográfica é de 2.470 habitantes por Km².

Tito destacou que, baseado em Estudos Técnicos, realizados pela Secretaria de Saúde do Município, considera que Taquara e os municípios vizinhos (citou Parobé, Igrejinha e Rolante) têm condições extremamente favoráveis à flexibilização das atividades comerciais, com, segundo ele, baixa incidência de casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus e a inexistência de óbitos pela pandemia.

Executivo também encaminhou documento ao MP

Nesta sexta-feira, o Executivo taquarense também encaminhou ofício ao Ministério Público (MP), endereçado à promotora Ximena Cardozo Ferreira. Desta vez, o documento levou o apelo, não apenas da administração municipal, mas do Sindilojas Vale do Paranhana e diversos outros comerciantes da cidade, que reuniram assinaturas em um abaixo assinado virtual e entregaram junto ao ofício. O assunto do documento foi um pedido de apoio, por parte do Ministério Público, junto ao governo do estado, para que o governador reavalie as medidas de vedação das atividades comerciais realizadas em Taquara.