Temperatura agora:   13.5 °C   [+]

Vereadores buscam informações sobre a suspensão de contratações emergenciais em Parobé

Representantes da Câmara de Vereadores estiveram reunidos com o secretário de educação na manhã desta sexta-feira (24).
 Divulgação

A fim de esclarecer informações a respeito da suspensão de contratos de professores da rede municipal, vereadores do Legislativo Parobeense se reuniram na manhã desta sexta-feira (24), com o secretário de Educação, Glauco Tasso.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




No começo do mês de abril os parlamentares foram procurados por diversos professores, que pediam providências quanto ao aviso de que os contratos seriam suspensos. “Esta é uma situação muito complexa que afeta diretamente a educação do município. Estes profissionais não podem simplesmente ficarem desatendidos neste momento, sem a garantia de pagamentos”, destacou o vereador Eneas Rodrigues (PSB).


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Ao ser questionado a respeito da situação, Tasso afirmou que o Executivo tomou a decisão, por entender que não haveria a prestação de serviços durante o período determinado pelo decreto municipal, mas que a pasta já estuda uma alternativa. “Estamos verificando a possibilidade de promover tarefas à distância, de forma que estes professores sejam mantidos no quadro de funcionários, atendendo a rede de ensino. Vamos encontrar uma forma dentro da legalidade para realizar os pagamentos e dar continuidade ao trabalho destes profissionais”, destacou.  

Além disso, o secretário salientou a existência de um processo jurídico que envolve as contratações emergenciais, que teriam sido suspensos por decisão do Ministério Público. Tasso também confirmou que na próxima semana os professores serão convocados para uma reunião.

Para o vereador Gilberto Gomes (Republicanos), a decisão da Prefeitura Municipal impacta centenas de profissionais que prestam serviços para a educação do município. “Esta ação do Ministério Público nada tem a ver com a pandemia. Houve uma decisão do Executivo em suspender estes contratos. Era necessário ter planejado alternativas antes que esta situação chegasse a este ponto, promovendo ações pedagógicas que mantivessem os profissionais trabalhando”, salientou.

Participaram também do encontro os vereadores Jair Bagestão (PSB), Elario Jahn (MDB), Antônio Carlos dos Santos (Republicanos), Henrique Rafael dos Santos (Republicanos), além da presidente, Maria Eliane Nunes (MDB).