Vitor Koch rebate denúncias sobre FCDL e diz ter sido vítima de extorsão

Empresário de Três Coroas divulgou áudio que comprovaria extorsão por outros diretores da entidade lojista.

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), Vitor Augusto Koch, se defendeu, nesta terça-feira (3), das acusações de supostos desvios de recursos da entidade. O empresário de Três Coroas revelou que vinha sendo alvo de extorsões de opositores. Koch sustenta que as denúncias investigadas pela Polícia Civil têm forte cunho político baseado numa disputa interna junto à FCDL. Argumenta, ainda, que todas as contas da entidade foram aprovadas e nega irregularidades na condução da Federação.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O empresário entregou à polícia áudios que comprovariam as extorsões. Segundo ele, um dos vice-presidentes, Fernando Palaoro, teria admitido ficar calado sobre supostas irregularidades caso recebesse R$ 500 mil. Palaoro é autor de um dossiê levado ao Ministério Público e que originou as investigações após ser repassado pela Promotoria à polícia.

“Ele procurou uma pessoa da federação, disse que tinha um dossiê, mas que nada precisava acontecer desde que atendesse a exigência dele. Ele queria dinheiro para ir para a Itália. Tinha dívidas com a federação e estava passando por dificuldades financeiras. Exigiu R$ 500 mil para não levar adiante o dossiê. Destaque interlocutores para conversar com ele porque queríamos saber quais eram as supostas acusações. E foi dito a ele que nada seria pago”, contou Koch, segundo o site GaúchaZH. Os interlocutores seriam Palaoro e o 1º diretor-financeiro da FCDL, Moacir Lodi.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Vitor Koch também registrou uma ocorrência policial de extorsão contra Palaoro, na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Porto Alegre. No Conselho de Ética da FCDL, em abril deste ano, houve apreciação da conduta de Fernando Palaoro e ficou decidido pela exclusão dele da entidade. O recurso interposto por Palaoro está marcado para apreciação em assembleia na sexta-feira (6).

O delegado Juliano Ferreira, que comandou as investigações sobre os supostos desvios na FCDL, comentou ao site GaúchaZH as novas revelações de Vitor Koch. “Recebemos notícia-crime sobre desvios que teriam sido praticados pelo presidente e estamos trabalhando nesse sentido. Se houve extorsão ou não, isso não torna legal os desvios praticados pelo presidente. O que vamos fazer é instaurar um inquérito para apurar essa extorsão ou encaminhar para a 1ª DP apurar, já que a ocorrência da extorsão foi feita lá”. Fernando Palaoro e Moacir Lodi não quiseram se manifestar.

Ouça sobre extorsão divulgado por Vitor Koch:

Leia mais: