Estado adquire 10 mil cestas básicas para famílias carentes de alunos da 2ª CRE: cidades do Paranhana serão beneficiadas

Imagem: Divulgação.

Nesta sexta-feira (24), o 19º Batalhão de Infantaria Motorizado de São Leopoldo recebeu um carregamento de 2 mil cestas básicas, que serão distribuídas para as famílias mais atingidas pela pandemia da Covid-19 das escolas da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE). No total, as 165 escolas espalhadas em 38 municípios da 2ª região escolar receberão 10 mil cestas, que serão distribuídas a partir da próxima terça (28). No Vale do Paranhana, comunidades escolares de Taquara, Parobé, Igrejinha e Três Coroas, serão beneficiadas.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



De acordo com o secretário estadual da Educação, Faisal Karan, que esteve presente no ato de entrega dos alimentos, a aquisição de 185 mil cestas para o Estado do Rio Grande do Sul foi um esforço conjunto do Governo Federal, do governo do Estado e do Conselho Nacional de Alimentação. A ação foi organizada com vistas a atender à demanda levada pela população às escolas da rede estadual de educação que, segundo Karan, se intensificou com a extensão do período de quarentena.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Os alimentos, adquiridos pelo Estado, ficarão armazenados na sede do exército, cujo pelotão auxiliará também com a logística de carregamento e descarregamento. Os diretores das escolas estão autorizados a contratar o transporte das cestas aos seus municípios com recursos da autonomia financeira. Para a coordenadora da 2ª CRE, Ileane Bravo, o momento é de buscar alternativas para amparar socialmente quem mais precisa. “Nenhuma educação terá cumprido o seu papel, se, no caminho, perdermos a nossa capacidade de empatia, nossa humanidade”, destacou ela.

Período delicado

Conforme a diretora da Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Breno Oswaldo Ritter, Ana Lucia Neves, assim que saiu o decreto do governador para alunos e professores da rede estadual ficarem em casa, as escolas foram autorizadas a distribuírem a merenda escolar, em forma de kits, às famílias socialmente mais vulneráveis. Depois disso, as equipes diretivas das escolas se mobilizaram para mapear as famílias em situação de vulnerabilidade, e identificando alunos que já são atendidos pelo Bolsa Família, e/ ou que têm pais desempregados ou autônomos que ficaram sem renda durante a quarentena.

Ana contou que o momento tem sido bastante delicado, pois mesmo com as doações dos kits feitos com a merenda que a escola já tinha em estoque, no caso do Breno Ritter, muitas famílias ainda manifestaram necessidade. Segundo ela, a escola tem em torno de 320 alunos matriculados, e a direção mapeou 70 famílias para serem beneficiadas pelo envio das cestas do governo. A diretora disse que a data das entregas dos alimentos ainda não foi definida, mas as doações serão organizadas e realizadas no endereço de cada educandário.

“Aqui na escola Breno Ritter, Vamos nos organizar para prevenir aglomerações, mas é importante dizer que nós mesmos vamos entrar em contato com as famílias que mapeamos. É um trabalho muito sério e requer comprovação, tanto das necessidades das famílias que serão beneficiadas, quanto da entrega dos alimentos para casa uma delas. Vamos reunir registros fotográficos e também assinaturas desse público”, explicou Ana Lucia. Outro dado informado pela diretora, é que, independente do número de filhos matriculados, cada família receberá uma única cesta, com 24Kg. de alimentos.

%d blogueiros gostam disto: