Estado volta a classificar a região em bandeira vermelha no mapa preliminar do distanciamento controlado

O governo do Estado voltou a classificar a região de Taquara, que abrange o Vale do Paranhana, em bandeira vermelha no mapa preliminar do sistema de distanciamento controlado. É a mesma indicação da última semana – quando a região ficou na bandeira vermelha no indicador prévio, mas conseguiu reverter com recurso apresentado pela Associação de Municípios do Vale do Paranhana. Segundo o governo, o cenário de disseminação do coronavírus e da ocupação de leitos cresce no estado, o que fez com que 15 regiões gaúchas sejam classificadas como vermelha, ou seja, com risco alto. As bandeiras definitivas serão divulgadas na segunda-feira (13).


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE





No caso de Taquara, mais uma vez o governo afirma que a região foi pressionada pela situação da macrorregião metropolitana. Esta elevação fez com que os quatro indicadores da região, de hospitalizações registradas, razão de ativos sobre os recuperados, hospitalizações a cada 100 mil habitantes e de projeção de óbitos obtivessem, respectivamente, as bandeiras amarela, preta, vermelha e preta.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O número de novas hospitalizações registradas confirmadas para Covid-19 nos últimos sete dias passou de seis para sete entre as duas semanas. No caso do número de internados em UTI por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e por confirmados para Covid-19, a região obteve seis pacientes SRAG e cinco Covid, frente à situação nula da semana anterior. Para internados em leitos clínicos confirmados para Covid, passou de três para oito pacientes.

Por fim, os indicadores de Estágio da Evolução na Região e de Incidência de Novos Casos sobre a População apresentaram agravamento entre as duas semanas. Observando o indicador da razão entre casos ativos na última semana e recuperados no início da semana (50 dias anteriores), verifica-se novamente o elevado valor – com a região de Taquara obtendo o maior entre todas as regiões.

Regra 0-0

Na região, os municípios de Riozinho, Rolante e São Francisco de Paula se enquadram na chamada “Regra 0-0”, pela qual, mesmo com a região sendo classificada com bandeira vermelha, poderão adotar os regramentos de bandeira laranja. Esta regra exige que os municípios não tenham registros de óbitos por Covid-19 de morador nos 14 dias anteriores ao levantamento e nem hospitalização. As prefeituras, no entanto, têm que manter atualizados os registros nos sistemas oficiais e adotar, por meio de decreto, regulamento próprio, com os protocolos para as atividades previstas na bandeira laranja.

Recurso

O mapa preliminar da 10ª rodada foi divulgado pelo governo no fim da tarde desta sexta-feira (10/7) e está disponível em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br. No prazo de 36 horas após a publicação do mapa preliminar, que se encerra às 6h de domingo (12/7), os municípios que quiserem apresentar recursos sobre as classificações podem preencher o formulário neste link: https://forms.gle/9HsVNQb7DSn5Fimy9. Aqueles que se enquadrarem na Regra 0-0 e podem adotar protocolos de bandeira laranja não precisam protocolar recurso.

Na segunda-feira (13/7), o Gabinete de Crise analisará os dados enviados e rodará o mapa novamente e, à tarde, divulgará as bandeiras definitivas, que serão vigentes de 14 a 20 de julho.

Prefeitos da região articulam recurso

Contatado pelo Jornal Panorama, o prefeito de Taquara, Tito Lívio Jaeger Filho, disse que os chefes dos Executivos da região terão uma reunião neste sábado (11) em Taquara quando definirão a estratégia a ser adotada frente à situação de bandeira vermelha. A tendência é de que um recurso será efetivamente apresentado ao governo. Mas, Tito afirma que o aumento dos casos positivos nesta semana, internações hospitalares e, até mesmo, o registro de óbitos, já dava o indicativo de que a bandeira poderia vir a ser vermelha no mapa preliminar.

%d blogueiros gostam disto: