Ex-funcionários da Associação Silvio Scopel ainda não receberam a totalidade de rescisões

Ex-funcionários da Associação Silvio Scopel, que deixou a gestão do Hospital Bom Jesus, de Taquara, em 10 de março, continuam enfrentando problemas para o recebimento dos valores provenientes das rescisões trabalhistas. A informação foi repassada ao Jornal Panorama por vários ex-colaboradores, que procuraram a reportagem nos últimos dias. Segundo eles, embora tenha sido liberado algum valor no começo de abril, ainda não houve o pagamento da totalidade dos recursos. Muitos relatam que estão passando por dificuldades por conta da falta de recursos.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A reportagem do Panorama consultou o processo judicial a respeito. Em uma última decisão, de 20 de abril, o juiz Norton Benites avaliou novamente os pagamento das verbas trabalhistas aos ex-funcionários da Scopel. Na ocasião, o magistrado fez referência a uma petição protocolada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que pediu a prorrogação de prazo, em 10 dias, para apresentar as planilhas e informações para o pagamento de parcelas incontroversas aos ex-empregados da Silvio Scopel.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Segundo o juiz, a petição do MPT se relaciona com um documento levado ao processo pela Silvio Scopel com dados sobre o pagamento dos ex-empregados e de tributos correlatos, além de outro documento em que o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público Estadual (MPE) teceram considerações sobre tais pagamentos. “O tema é realmente complexo. A ABSS [Silvio Scopel], no evento 1028, trouxe um universo de dados de recursos humanos e contábeis que afetam a elaboração da planilha pelos Ministérios Públicos. É relevante que os fatos e dados sejam considerados adequadamente para que o pagamento definitivo se realize de forma efetiva, sem mais frustrações aos ex-empregados e sem gerar mais retrabalho aos envolvidos”, escreveu o juiz, que aceitou o pedido de dilação de prazo. Com isso, até quinta-feira passada, dia 30 de abril, deveria ser apresentado, pelos Ministérios Públicos, a planilha definitiva com os valores a serem pagos aos ex-funcionários.

Pagamentos da Prefeitura de Taquara

Desde que saiu do Hospital de Taquara, a Silvio Scopel vinha reclamando de valores que não teriam sido pagos pela Prefeitura de Taquara. Na mais recente decisão do processo judicial, o juiz Norton Benites se manifestou sobre o tema. Segundo ele, a Prefeitura se manifestou nos autos dizendo que a Silvio Scopel não comprovou a prestação de serviços contratados no período de dezembro de 2019 até 9 de março de 2020. Em razão disso, a administração municipal afirmou que não há mais valores a serem pagos à Silvio Scopel e anunciou que não realizaria depósito judicial de outros valores na ação. O magistrado disse que o tema se esgotou no âmbito daquela ação civil pública, mas, caso as partes entendam que há valores a discutir, poderiam fazer em outro processo. Na prática, o magistrado decidiu que, se a Silvio Scopel quiser reclamar de eventuais valores que entende ter por receber da Prefeitura, terá que entrar com um processo judicial próprio para esta cobrança.

%d blogueiros gostam disto: